chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Deputado diz que Ministério Público deve investigar “linchamento público” do pastor Marcos Pereira e também o delegado do caso. Assista

Deputado diz que Ministério Público deve investigar “linchamento público” do pastor Marcos Pereira e também o delegado do caso. Assista

O deputado estadual Paulo Ramos (PDT) fez novo discurso na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro abordando o caso Marcos Pereira, preso sob acusações de estupro de fiéis da Assembléia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), e afirmou que está ocorrendo um “linchamento público” do pastor, motivado por “perseguição religiosa”.

Em sua fala, Ramos voltou a criticar a postura da TV Globo e acusar a emissora de envolvimento no que chamou de “orquestração” contra Marcos Pereira.

Segundo ele, as mulheres que fizeram denúncia trabalham para o AfroReggae e são “amigas, sócias, cúmplices do senhor José Júnior”, desafeto público do pastor.

Ramos disse ainda que as acusações de “associação ao tráfico são porque o pastor Marcos Pereira desenvolve um trabalho para a recuperação de drogados e de ex-reclusos”.

O deputado disse que atualmente, com o uso de um simples aparelho de celular é possível gravar, filmar e fotografar situações, que poderiam ser usadas como prova de que Marcos Pereira organizava orgias.

“Por quê, nesse caso específico, só há testemunhas? Não há nenhuma outra prova?”, questiona o deputado, que ainda critica o delegado responsável pela condução do inquérito, dizendo que ele nunca esteve na ADUD para averiguar se o local poderia servir de cativeiro, como algumas das supostas vítimas afirmam em seus depoimentos.

O deputado ainda menciona que espera uma posição mais clara dos procuradores do Ministério Público, que segundo o deputado, é parte decisiva no processo, e que pedirá uma reunião para que o caso seja melhor investigado.

“O Ministério público tem uma responsabilidade grande nisso. Quando alguém pede prisão, o Ministério público opina. Mas opina com receio do clamor imposto pela mídia? Opina com independência? Faz parte dessa orquestração?”, disse, levantando suspeitas sobre a condução do caso.

“Nós estamos diante de um linchamento. O que acontece com o pastor Marcos Pereira pode acontecer, tem acontecido, com qualquer cidadão e com qualquer parlamentar”, disse, antes de solicitar que o MP investigue também o delegado Márcio Mendonça.

Assista a íntegra do discurso do deputado Paulo Ramos:

Fonte: Gospel+
Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"