chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

sábado, 26 de março de 2011

Pastor Silas Malafaia na mira da justiça por homofobia

As palavras usadas pelo pastor sobre o tema durante uma sessão na Câmara geraram processos e investigações
 
                                    Pastor Silas Malafaia na mira da justiça por homofobia

Em maio do ano passado o pastor Silas Malafaia participou de uma audiência na Câmara dos Deputados que discutia o Estatuto da Família, o encontro foi marcado por discussões sobre possíveis mudanças no  da família, entre elas a união homossexual.

O discurso do pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo foi contrário a união entre pessoas do mesmo sexo e chamou a atenção da procuradora da República em Brasília Ana Carolina Araújo Roman pelo tom de suas respostas.

Na sessão, o pastor chegou a dizer que se fosse para concordar com a união gay, então que se liberasse a zoofilia e a necrofilia. As palavras do pastor foram:

– Vamos liberar tudo que tem na sociedade. Vamos colocar na lei tudo que se imaginar. Quem tem relação com cachorro, vamos botar na lei, porque tem gente que gosta de ter relação com cachorro. Eu vou apelar aqui, mas tem que dizer, é um comportamento, ué. Vamos aceitar?

– Quem tem relação com cadáver? É um comportamento, vou botar na lei. Ah, se é um comportamento, ué, estão espantados, vão discriminar, ué? É a favor de quê? Então vamos colocar tudo na lei e onde é que vai parar a sociedade brasileira?

No início de fevereiro, Ana Carolina converteu uma investigação preliminar sobre o caso em inquérito por entender que era necessário continuar com as apurações.
Assista:

Fonte: Gospel Prime
Com informações Radar On-line

sexta-feira, 25 de março de 2011

Mãe conta que seu filho ressuscitou após ela cantar canção do Diante do Trono

Testemunho revela o poder de Deus através de um louvor de Ana Paula Valadão
 
A líder do Ministério Manancial de Milagres, Taynan, contou seu testemunho para uma revista dizendo que seu filho nasceu com problemas de saúde e com três meses de vida precisou passar pela 10ª cirurgia e não resistiu, mas enquanto Taynan cantava um louvor do Diante do Trono 7 a criança voltou a respirar.
A história aconteceu em outubro de 2005, mas só foi revelada agora em entrevista a Revista Acesso

Gospel. Lucas, filho de Taynan, nasceu com uma obstrução no intestino e durante os três meses de vida precisou fazer várias operações sem esperanças de recuperação.

Na décima cirurgia o pequeno estava pesando apenas 800 gramas e não suportou o sofrimento, muito fraco, ele teve paradas cardíacas chegando a óbito.

“Já quase sem forças eu louvei uma canção da Ana Paula Valadão chamada – Esperança -, banhando e ungindo a criança com as minhas lagrimas”, contou Taynan.

Através daquele louvor aquela criança voltou à vida. “Deus através da Fé em Cristo Jesus que Ele poderia devolver o fôlego de vida ao Lucas e declarando “Quando os sonhos de frustram ou parecem não se realizar, quando as forças se acabam tudo o que eu sei é te adorar”, Deus contemplou e através dessa verdade: Tudo, tudo o que eu sei é te adorar, então o Lucas mexe o braço e em seguida abre os olhos, ressuscitando dentre os mortos”, lembra a mãe.

Taynan conta também que sua irmã foi curada de epilepsia na mesma noite.

Confira: vídeo clipe da canção Esperança – Diante do Trono

Fonte: Gospel Prime

Com informações Portal DT

Senhora de 92 anos está lendo a Bíblia Sagrada pela 208ª vez

Com problemas de locomoção ela tira boa parte do seu tempo em casa para orar, ler, reler e memorizar as Sagradas Escrituras
Senhora de 92 anos está lendo a Bíblia Sagrada pela 208ª vez

Aos 92 anos, Adelina Souza dos Santos, moradora da cidade de Niterói (RJ) está lendo a Bíblia Sagrada inteira pela 208ª , ela dedica de 7 a 8 horas por dia ao estudo da Palavra, uma dedicação que simboliza devoção e reverência ao Livro Sagrado e serve também como inspiração aos mais jovens.

Adelina já sofreu quatro AVCs (Acidente Vascular Cerebral) o que prejudicou sua audição e também trouxe dificuldades de locomoção, isso impede que ela freqüente uma igreja, mas em casa ela tira a maior parte do tempo para fazer orações, copiar, memorizar e reler a Bíblia.

Sua dedicação já foi reconhecida por diversas vezes pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) que já lhe entregou vários certificados do programa de leitura bíblica em um ano. Nos últimos anos, ela tem se superado e lido toda a Bíblia num tempo ainda menor, entre seis e oito meses.

A sede pela Palavra de Deus começou há cerca de 50 anos, quando Adelina herdou uma Bíblia do sogro.  Mas mesmo diante da vasta quantidade de leituras que já fez, ela não tem o texto bíblico de cor e salteado na cabeça. “É impossível gravar a Bíblia inteira. A Palavra do Senhor cada hora tem algo novo para ensinar”, relata.

Para quem não leu as Escrituras Sagradas por inteiro, Adelina incentiva. “As pessoas precisam conhecer o amor de Deus para com a humanidade. Esse é o caminho da verdade e da vida.” A fiel leitora já traçou nova meta: a leitura de toda a Bíblia até a ducentésima décima (210ª) vez. Assim, ela acredita que terá cumprido sua missão com Deus.

Fonte: Gospel Prime
Com informações SBB

quinta-feira, 24 de março de 2011

28* anivesário do conjunto som agenlical da AD setor 2 em ouro preto do oeste


Nos dias 19 e 20 de março, foi realizada a festividade do conjunto Som Angelical da igreja Assemblía de Deus do setor 02 em Ouro Preto do Oeste- RO, aos cuidados do pastor Jomicésar. A festividade foi uma foi uma bênção, teve participação do pastor presidente José Posidônio e o preletor foi o Pastor Obidiel, de Nova Londrina- RO.

Grandes foram as maravilha em nosso meio e a presença de Deus foi  tão poderosa que muita pessoas receberam o batismo com espirito santo e muitas alma entregaram sua vida a Jesus;  grande foi  gloria de Deus naquele lugar, verdadeiramente Deus se fez presente.

Ao findar o culto muitas pessoa tiveram que ser carregadas,  pois ficaram impactadas do poder de Deus que nem conseguiam andar...  DEUS É FIÉL... Aleluia!!!
fonte: conjunto manancial

domingo, 20 de março de 2011

Assembleia de Deus inaugura réplica do primeiro templo da igreja no Brasil

 Prédio reproduz a primeira igreja do movimento pentecostal brasileiro e busca ampliar evangelização

 Assembleia de Deus inaugura réplica do primeiro templo da igreja no Brasil
                                                            
Abre as portas neste domingo (20), em Belém (PA), a réplica do que foi o primeiro templo da Assembleia de Deus no Brasil. O evento faz parte da comemoração do Centenário de fundação da Igreja, que ocorreu em junho de 1911 na capital paraense. A inauguração do novo prédio será antecedida de uma caminhada por algumas ruas do centro da cidade.

As obras de recuperação do espaço tiveram inícioem janeiro de 2010. “Buscamos reformar o espaço para deixá-lo o mais parecido com o original. A fachada lembra a do primeiro templo e até os móveis lembram o mobiliário da época”, detalha o pastor Guilherme Costa, organizador do evento.

Após descerrar a faixa de inauguração, o presidente da Assembleia de Deus em Belém, Pastor Samuel Câmara, realizará o primeiro culto na nova igreja. “Esse é momento muito importante para a Igreja. É como voltar as nossas origens. Além do que essa inauguração amplia a nossa atuação evangelizadora no bairro da Batista Campos”, garante o organizador. Diversos grupos da Assembleia de Deus participarão do evento que é aberto a todos os fiéis.

 

Origem

A Assembleia de Deus foi criada, em Belém, pelos suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, em 18 de junho de 1911. Nos anos seguintes, pastores levaram a evangelização para outros estados e países e, hoje, a Igreja é considerada o maior movimento pentecostal do mundo. Segundo dados o Censo 2000, divulgado pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em todo o Brasil são cerca de 10 milhões de assembleianos.

Em 2011, a Igreja celebra o seu Centenário e prepara uma grande programação. Estão previstas celebrações, peças teatrais, apresentações musicais, entre outras iniciativas. O ponto alto das comemorações acontecerá no dia 18 de junho, quando uma marcha reunirá cerca de 200 mil pessoas, de todas as religiões, e será concluída num grande culto com a participação do evangelista Reinhard Bonnke, da missionária Helena Raquel e do pastor Silas Malafaia, além de outros pregadores nacionais e internacionais.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Assessoria de Imprensa

Presidente Dilma lê a revista A Bíblia no Brasil

O exemplar que é entregue em obras missionárias chegou às mãos da presidente por intermédio do pastor Sillas Vieira e do senador Magno Malta
 
                                                                    Presidente Dilma lê a revista A Bíblia no Brasil

A Sociedade Bíblica do Brasil levou à presidente do Brasil, Dilma Rousseff, a obra bíblica e missionária promovida pela SBB há mais de seis décadas. O encontro aconteceu em janeiro com os pastores Sillas dos Santos Vieira, presidente do diretório estadual da SBB no Espírito Santo, e Magno Malta, senador reeleito pelo estado capixaba.

Nesta reunião, os líderes religiosos divulgaram e destacaram à presidente o reconhecido trabalho da SBB no País pela Causa da Bíblia. Durante a conversa Dilma recebeu e leu um exemplar da tradicional revista A Bíblia no Brasil, publicada pela SBB.

“Tivemos a oportunidade de informar a presidente sobre a grande obra da SBB, como sendo a maior publicadora da Bíblia no mundo, atendendo a cerca de uma centena de países. Falei a ela também sobre a grande obra social da SBB, como os programas da Bíblia em Braile, Luz na Amazônia com os ribeirinhos, e Bíblias para presidiários e dependentes químicos. Ela ficou admirada com esta grande obra”, relata o pastor Vieira.

Fonte: Gospel Prime
Com informações SBB

sábado, 19 de março de 2011

Deputado Marco Feliciano enfrenta Jean Wyllys e o convida para um debate

O pastor que conversar para dar fim a essa confusão entre evangélicos e homossexuais que tem ganhado destaque nos pronunciamentos da Casa

Os primeiros pronunciamentos dos deputados federais empossados em fevereiro deste ano já mostraram que a pauta deste mandato será voltada para a discussão sobre os direitos civis aos homossexuais. De
um lado a bancada evangélica juntamente com a Frente da Família tenta impedir que projetos como a PLC 122 sejam aprovados e do outro lado o deputado Jean Wyllys, o primeiro parlamentar homossexual assumido, juntamente  com outras frentes tentam apoiar entre outras coisas o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

O clima esquentou quando a frente evangélica tentou impedir que os parceiros homossexuais fossem colocados como dependentes no Imposto de Renda. Para debater essa afronta, Jean Wilis disse que pedirá para que todas as igrejas evangélicas prestem contas publicamente daquilo que arrecadam.
Assim que foi noticiado esse desejo do parlamentar, o deputado federal e pastor Marco Feliciano usou seu pronunciamento para mandar um recado ao colega e chamá-lo para um debate “sem preconceito”.

“Quando o assunto passa para questionamento da prestação de contas das igrejas, o nobre deputado envereda pelo campo do confronto, demonstrando vontade de atuar em todas as direções,(…) aconselho o nobre colega a verificar na internet, a prestação de contas de todas as igrejas”, disse o líder do Ministério

Tempo de Avivamento.
Feliciano lembrou aos deputados presentes na sessão que muitas igrejas desenvolvem trabalhos sociais relevantes, tirando drogados das ruas e amparando órfãos e idosos. Lembrou também que muitas vezes as despesas dessas instituições superam, e em muito, as receitas.

O pastor disse que não quer desentendimentos, mas quer dar voz aos seus eleitores. “Não estamos aqui para municiar debates midiáticos e sim, para bem representar os milhões e milhões de brasileiros que professam uma fé calcada no que Ensina o Livro Sagrado – Uma família é constituída por pai, mãe e filhos – base para qualquer sociedade se desenvolver no trabalho, na educação e ser feliz”.

Encerrando, o pastor Marco Feliciano convida o parlamentar para uma conversa. “Graças a Deus, esta Casa é um parlamento democrático e convido o nobre colega para um debate de idéias, sem preconceitos e para que possamos como gente civilizada e hoje, na posição de legisladores, podermos encontrar um caminho para o bem comum.”

quinta-feira, 17 de março de 2011

Maçonaria dentro de Igrejas Evangélicas, Batista e Presbiteriana são as preferidas


Ela costuma causar nos crentes um misto de espanto e rejeição. Pudera – com origens que se perdem nos séculos e um conjunto de ritos que misturam elementos ocultos, boa dose de mistério e uma espécie de panaceia religiosa que faz da figura de Deus um mero arquiteto do universo, a maçonaria é normalmente repudiada pelos evangélicos.
Contudo, é impossível negar que a história maçônica caminha de mãos dadas com a do protestantismo. Os redatores do primeiro estatuto da entidade foram o pastor presbiteriano James Anderson, em Londres, na Inglaterra, em 1723, e Jean Desaguliers, um cristão francês.

Devido às suas crenças, eles naturalmente introduziram princípios religiosos na nova organização, principalmente devido ao fim a que ela se destinava: a filantropia. O movimento rapidamente encontrou espaço para crescer em nações de tradição protestante, como o Reino Unido e a Alemanha, e mais tarde nos Estados Unidos, com a colonização britânica. Essa relação, contudo, jamais foi escancarada. Muito pelo contrário – para a maior parte dos evangélicos, a maçonaria é vista como uma entidade esotérica, idólatra e carregada de simbologias pagãs.

Isso tem mudado nos últimos tempos. Devido a um movimento de abertura que atinge a maçonaria em todo
o mundo, a instituição tem se tornado mais conhecida e perde, pouco a pouco, seu aspecto enigmático. Não-iniciados podem participar de suas reuniões e cada vez mais membros da irmandade assumem a filiação, deixando para trás antigos temores – nunca suficientemente comprovados, diga-se – que garantiam que os desertores pagavam a ousadia com a vida. A abertura traz à tona a uma antiga discussão: afinal, pode um crente ser maçom? Na intenção de manter fidelidade à irmandade que abraçaram, missionários, diáconos e até pastores ligados à maçonaria normalmente optam pelo silêncio. Só que crentes maçons estão fazendo questão de dar as caras, o que tem provocado rebuliço.

A Primeira Igreja Batista de Niterói, uma das mais antigas do Estado do Rio de Janeiro, vive uma crise interna por conta da presença de maçons em sua liderança. A congregação já estuda até uma mudança em seus estatutos, proibindo que membros da sociedade ocupem qualquer cargo eclesiástico.

Procurada por CRISTIANISMO HOJE, a Direção da congregação preferiu não comentar o assunto, alegando questões internas. Contudo, vários dos oficiais da igreja são maçons há décadas: “Sou diácono desta igreja há 28 anos e maçom há mais de trinta. Não vejo nenhuma contradição nisso”, diz o policial rodoviário aposentado Adilair Lopes da Silveira, de 58 anos, mestre da Loja Maçônica Silva Jardim, no município de mesmo nome, a 180 quilômetros da capital fluminense.

Adilair afirma que há maçons nas igrejas evangélicas de todo Brasil, dezenas deles entre os membros de sua própria congregação e dezesseis entre os 54 membros da loja que frequenta: “Por tradição, a maioria deles é ligada às igrejas Batista ou Presbiteriana. Essas são as duas denominações em que há mais a presença histórica maçônica”, informa.

Um dos poucos crentes maçons que se dispuseram a ser identificados entre os 17 procurados pela reportagem, o ex-policial acredita que a sociedade em geral, e os religiosos em particular, nada têm a perder se deixarem “imagens distorcidas” acerca da instituição de lado. “Há preconceito por que há desconhecimento. Alguns maçons, que queriam criar uma aura de ocultismo sobre eles no passado, acabaram forjando essa coisa de mistério”, avalia. “Já ouvi até histórias de que lidamos com bodes ou imagens de animais.

Isso não acontece”, garante. Segundo Adilair, o único mistério que existe de fato diz respeito a determinados toques de mão, palavras e sinais com os quais os maçons se identificam entre si – mas, segundo ele, tudo não passa de zelo pelas ricas tradições do movimento, que, segundo determinadas correntes maçônicas, remontam aos tempos do rei hebreu, Salomão. E, também, para relembrar tempos difíceis. “São práticas que remontam ao passado, já que nós, maçons, fomos muito perseguidos ao longo da história”.

Adilair adianta que não aceitaria uma mudança nos estatutos da igreja para banir maçons da sua liderança. Tanto, que ele e seus colegas de diaconato que pertencem ao grupo preparam-se para, se for o caso, ingressar na Justiça, o que poderia desencadear uma disputa que tende a expor as duas partes em demanda. Eles decidiram encaminhar uma cópia da proposta do regimento ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Luiz Zveiter. “Haverá uma enxurrada de ações na Justiça se isso for adiante, não tenho dúvidas”, afirma o diácono. A polêmica em torno da adesão de evangélicos à maçonaria já provocou até racha numa das maiores denominações do país, a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), no início do século passado (ver abaixo).

O pastor presbiteriano Wilson Ferreira de Souza Neto, de 43 anos, revela que já fez várias entrevistas com o intuito de ser aceito numa loja maçônica do município de Santo André, região metropolitana de São Paulo. O processo está em andamento e ele apenas aguarda reunir recursos para custear a taxa de adesão, importância que é usada na manutenção da loja e nas obras de filantropia: “Ainda não pude disponibilizar uma verba para a cerimônia de iniciação, que pode variar de R$ 1 mil a cinco mil reais e para a mensalidade. No meu caso, o que ainda impede o ingresso na maçonaria é uma questão financeira, e não ideológica” diz Wilson, que é mestre em ciências da religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e estuda o tema há mais de uma década.

“Pessoas próximas sabem que sou maçom e isso inclui vários membros de minha igreja”, continua o religioso. “Alguns já me questionaram sobre isso, mas após várias conversas nas quais eu os esclareci, tudo foi resolvido”. Na mesma linha vai outro colega de ministério que prefere não revelar o nome e que está na maçonaria há sete anos. “Tenho 26 anos de igreja, seis de pastorado e posso garantir que não há nenhuma incompatibilidade de ser maçom e professar a fé salvadora em Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador”, afirma. Ele ocupa o posto de mestre em processo dos graus filosóficos e diz que foi indicado por um pastor amigo. “Só se pode entrar na maçonaria por indicação e, não raro, os pastores se indicam”. Para o pastor, boa parte da intolerância dos crentes em relação à maçonaria provém de informações equivocadas transmitidas por quem não conhece suficientemente o grupo.

“SEM CAÇA ÀS BRUXAS”

Procurados com insistência pela reportagem, os pastores Roberto Brasileiro e Ludgero Bonilha, respectivamente presidente e secretário-geral do Supremo Concílio da IPB, não retornaram os pedidos de entrevista para falar do envolvimento de pastores da denominação com a maçonaria. Mas o pastor e jornalista André Mello, atualmente à frente da Igreja Presbiteriana de Copacabana, no Rio, concordou em atender CRISTIANISMO HOJE em seu próprio nome. Segundo ele, o assunto é recorrente no seio da denominação.

“O último Supremo Concílio decidiu que os maçons devem ser orientados, através do Espírito Santo, sem uso de coerção ou força, para que deixem a maçonaria”, conta Mello, referindo-se ao Documento CIV SC-IPB-2006, que trata do assunto. O texto, em determinado trecho, considera a maçonaria como uma religião de fato e diz que a divindade venerada ali, o Grande Arquiteto do Universo, é uma entidade “vaga”, sem identificação com o Deus soberano, triúno e único dos cristãos.

O pastor, que exerce ainda o cargo de secretário de Mocidade do Presbitério do Rio, lembra que, assim como as diferentes confissões evangélicas têm liturgias variadas e suas áreas de conflito, as lojas maçônicas não podem ser vistas em bloco – e, por isso mesmo, defende moderação no trato da questão. “Vejo algum exagero na perseguição aos maçons, pois estamos tratando de um problema de cem anos atrás, deixando de lado outros problemas reais da atualidade, como a maneira correta de lidar com o homossexualismo”.

O pastor diz que há mais presbíteros do que pastores maçons – caso de seu pai, que era diácono e também ligado à associação. “Eu nunca fui maçom, mas descobri coisas curiosas, como por exemplo, o fato de haver líderes maçons de várias igrejas, inclusive daquelas que atacam mais violentamente a maçonaria. “Não acredito que promover caça às bruxas faça bem a nenhum grupo religioso”, encerra o ministro. “Melhor do que aprovar uma declaração contra alguém é procurá-lo, orar por ele, conversar, até ganhar um irmão.”

O presidente do Centro Apologética Cristão de Pesquisa (CACP), pastor João Flávio Martinez, por sua vez, não deixa de fazer sérios questionamentos à presença de evangélicos entre os maçons. “O fato é que, quando falamos em maçonaria, estamos falando de outra religião, que é totalmente diferente do cristianismo. Portanto, é um absurdo sequer admitir que as duas correntes possam andar juntas”. Lembrando que as origens do movimento estão ligadas às crenças misteriosas do passado, Martinez lembra o princípio bíblico de que não se pode seguir a dois senhores. “Estou convencido de que essa entidade contraria elementos básicos do cristianismo. Ela se faz uma religião à medida que adota ritos, símbolos e dogmas, emprestados, muitos deles, do judaísmo e do paganismo”, concorda o pastor batista Irland Pereira de Azevedo.

Aos 76 anos de idade e um dos nomes mais respeitados de denominação no país, Irland estuda o assunto há mais de três décadas e admite que vários pastores de sua geração têm ou já tiveram ligação com a maçonaria. Mas não tem dúvidas acerca de seu caráter espiritual: “Essa instituição contraria os mandamentos divinos ao denominar Deus como grande arquiteto, e não como Criador, conforme as Escrituras”. Embora considere a maçonaria uma entidade séria e com excelentes serviços prestados ao ser humano ao longo da história, ele a desqualifica do ponto de vista teológico e bíblico. “No meu ponto de vista, ela não deve merecer a lealdade de um verdadeiro cristão evangélico. Entendo que em Jesus Cristo e em sua Igreja tenho tudo de que preciso como pessoa: uma doutrina sólida, uma família solidária e razão para viver e servir. Não sou maçom porque minha lealdade a Jesus Cristo e sua igreja é indivisível, exclusiva e inegociável.”

Ligações perigosas

Crentes reunidos à porta de templo da IPI nos anos 1930: denominação surgiu por dissidência em relação à maçonaria.

As relações entre algumas denominações históricas e a maçonaria no Brasil são antigas. Os primeiros missionários americanos que chegaram ao país se estabeleceram em Santa Bárbara (SP), em 1871. Três anos depois, parte desses pioneiros, entre eles o pastor Robert Porter Thomas, fundou também a Loja Maçônica George Washington naquela cidade. O espaço abrigou, em 1880, a reunião de avaliação para aprovação ao ministério de Antônio Teixeira de Albuquerque, o primeiro pastor batista brasileiro. Tanto ele quanto o pastor que o consagrou eram maçons.

Quando o missionário americano Ashbel Green Simonton (1833-1867) chegou ao Brasil, em 12 de agosto de 1859, encontrou, na então província de São Paulo, cerca de 700 alemães protestantes. Sem ter onde reuni-los, Simonton – que mais tarde lançaria as bases da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) – aceitou a oferta de maçons locais que insistiram para que ele usasse sua loja, gratuitamente, para os trabalhos religiosos. A denominação, que abrigava diversos maçons, sofreu uma cisão em 31 de julho de 1903. Um grupo de sete pastores e 11 presbíteros entrou em conflito com o Sínodo da IPB porque a denominação não se opunha a que seus membros e ministros fossem maçons. Foi então fundada a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPI).

Ultimamente, a IPB vem reiteradamente confirmando a decisão de impedir que maçons exerçam não só o pastorado, como também cargos eclesiásticos como presbíteros e diáconos. As últimas resoluções do Supremo Concílio sobre o assunto mostram o quanto a maçonaria incomoda a denominação. Na última reunião, ficou estabelecida a incompatibilidade entre algumas doutrinas maçons e a fé cristã. Ficou proibida a aceitação como membros à comunhão da igreja de pessoas oriundas da maçonaria “sem que antes renunciem à confraria” e a eleição, ao oficialato, de candidatos ainda ligados àquela entidade.

Fonte: Cristianismo Hoje

terça-feira, 15 de março de 2011

Juiz bloqueia carregamentos de Bíblias para o Uzbequistão

A Sociedade Bíblica do Uzbequistão foi multada por supostamente “violar” alguns procedimentos governamentais relacionados à importação de dois carregamentos de 5 mil Bíblias em russo e 7 mil Bíblias infantis nos idiomas uzbeque e Karakalpak. O Comitê de Assuntos Religiosos se recusou a liberar os livros apesar de diversos apelos feitos pelas igrejas cristãs.

O juiz ordenou que a Sociedade Bíblica devolvesse o carregamento para a Rússia, e cobrisse as despesas. Os oficiais alertaram a organização que “não há necessidade de importar Bíblias para o Uzbequistão, já que existe uma versão eletrônica disponível na internet”.

Ore para que a Bíblia Sagrada esteja disponível para todas as pessoas no Uzbequistão. Ore para que os exemplares dos carregamentos não sejam devolvidos e possam ser distribuídos no país. Ore também para que os apelos feitos pela Sociedade Bíblica tenham influência e alterem a decisão do juiz.

Fonte: Portas Abertas

segunda-feira, 14 de março de 2011

“Devassa”: Mara Maravilha se recusa a fazer comercial de cerveja


Os sites de notícias divulgaram na sexta-feira, dia 10, que o nome de Mara Maravilha estaria sendo cogitado para estrelar o comercial da cerveja Devassa.

Depois do sucesso do comercial feito pela cantora Sandy, o publicitário da marca, Aaron Sutton, disse aos jornais que estava procurando uma devassa que tenha um lado “certinha” para o próximo vídeo. Foram sugeridos então os nomes de Rita Cadillac, Geisy Arruda. Gretchen, Ariadna e Mara Maravilha.

No mesmo dia a cantora gospel respondeu dizendo que não participaria da peça publicitária. O anuncio foi feito durante sua participação no programa 6º Básica da Rede Super.

“De antemão já estou avisando pro inferno rachar: a minha resposta é não”, disse Mara sobre ser a nova devassa.

Ela lembra do tempo que não era convertida e aceitava propostas que hoje trazem arrependimento. “O diabo já me comprou muito, já me convenceu muito, mas agora nem vem que não tem!”

Assista ao vídeo:



Fonte: Gospel Prime

Desastre no Japão levanta polêmica entre pastores sobre a soberania de Deus


O terremoto de 8,9 graus que atingiu o Japão na última sexta-feira, dia 10, assim como as outras catástrofes naturais, colocam em questionamento até onde Deus governa o mundo. Seria Ele o responsável pela fome, terremotos, tsunamis e guerras?

Diante das notícias que seguiram no final de semana o pastor Ricardo Gondim usou o twitter para dizer que Deus não está por trás desses acidentes. “O deus que ‘administra’ os eventos, tem propósitos insondáveis e que, pra cumpri-los, deixa tragédias acontecerem, é um demônio”, escreveu.

O pastor acredita que Deus é amor e esse sentimento não deixaria que essas situações acontecessem no mundo. “É preciso sair do modelo grego de uma divindade marionetando, do alto, os eventos da terra. Deus é Emanuel: Deus conosco”.

Minutos depois, as frases de Gondim recebiam respostas de outros pastores que acreditam que a Bíblia diz que Deus é soberano sobre todas as coisas e está no controle do mundo.

“Por mais que queiram excluir Deus das catástrofes da natureza, é uma tentativa vã. Ele é soberano em qualquer circunstância”, escreveu em seu microblog o pastor Geremias Couto.

Outro pastor que usou o twitter para se expressar sobre essa polêmica foi o reverendo Augustus Nicodemos, da Igreja Presbiteriana. “Como o dilúvio, tragédias são determinadas por Deus como parte de seus juízos sobre nossa raça pecadora, para arrependimento. Não há inocentes”.

O chanceler do Mackenzie citou a Bíblia para comprovar que Deus está no controle do mundo. “Todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus” (Rom 8:28). Isto só é possível se Deus nos amar e controlar as circunstâncias,” escreveu.

Mas Gondim não se sente pressionado diante de tantas controvérsias e seguiu postando suas teorias ignorando pastores e  líderes ministeriais que enviaram mensagens discordando de seu posicionamento.

“O modelo teológico que coloca Deus no controle de um tsunami também o responsabiliza por Auschwitz, Ruanda, e pelo estupro da esquina,” disse o presidente da Igreja Batista Betesda que ainda rebate: “Pouco me importam as reflexões rigorosas, procuro enlevar-me pela grandeza de quem vive uma humanidade compassiva”.

O que dizer sobre um pastor que acredita que Deus não autoriza nem intervêm em circunstâncias que não afetam só um país como o mundo todo já que o terremoto em questão alterou o eixo da Terra em 10cm segundo informações das estações GPS do Serviço Geológico Americano e da Autoridade de Informações Geoespaciais do Japão.

“Se a sua teologia muda de acordo ao que acontece no mundo, então ela não está baseada na Bíblia, mas no mundo,” provocou Leonardo Gonçalves no twitter do Púlpito Cristão.

Ainda sobre esse assunto o jornalista e escritor, Maurício Zágari, também opinou dizendo que Deus intervém sim nas coisas do mundo, contrapondo a visão de Gondim. “Jesus acalmou o mar. Deus abriu o Mar Vermelho. Mas hoje os intelectuais da fé dizem que ele só fica olhando as marolas, sem intervir”, disse.

Fonte: Gospel Prime

quinta-feira, 10 de março de 2011

Extremistas islâmicos incendeiam 59 igrejas etíopes



Bíblia em língua somali, com capa lembrando o Corão

ETIÓPIA (43º) - Uma nova onda anticristã acontece na região rural oeste da Etiópia há quase uma semana, onde pelo menos um cristão foi morto e outro ferido. Em um ataque em massa de extremistas islâmicos, 59 igrejas e pelo menos 28 casas foram incendiadas conforme líderes cristãos relataram à agência de notícias Compass Direct.

Como resultados dos ataques, mais de 4.000 cristãos de Asendabo, uma região da importante cidade etíope de Zona Jimma, foram obrigados a deixar suas casas. Fontes locais afirmam que o início dos conflitos se deu no dia 2 de março, depois que muçulmanos acusaram um cristão de profanar o Alcorão e de rasgar um exemplar do livro sagrado.

"A atrocidade ainda continua e as pessoas estão sofrendo", declara uma fonte da capital Addis Abeba, que mantém contato com os líderes da Igreja local.

Apesar de não ter sido ainda identificado, acredita-se que o cristão morto é um membro da Igreja Ortodoxa Etíope.

Em declaração ao Compass, um líder da igreja etíope afirma que "um cristão ortodoxo, cuja filha integra a Igreja Mekane Yesus, foi morto. Pastores e ministros estão feridos e muitos cristãos foram deslocados."

Autoridades

Na capital do país, um pastor afirma que  líderes evangélicos têm relatado os ataques e pedido às autoridades oficiais ajuda, mas nenhuma providência foi tomada até o momento.

“A igreja pediu proteção de mais policiais”, disse ele. “As autoridades enviaram forças de segurança, e estes ficaram impressionados com os ataques.”

A destruição que começou na zona rural de Asendabo, na região de Oromia, a 300 quilômetros da capital, se espalhou para Chiltie, Gilgel Gibe, Gibe, Nada, Dimtu, Uragay, Busa e Koticha, e se dirige à cidade de Jimma.

O pastor diz que os ataques contra os cristãos estão seguindo na direção da maior cidade do sudoeste do país e têm acontecido do mesmo modo: grupos reúnem milhares de muçulmanos extremistas e promovem agressões.

As regiões de Ako, Jimma, Dimtu e Derbo, têm servido como abrigo a muitos cristãos.

Os ataques

A Igreja Etíope Kale Hiwot (EKHC, sigla em inglês) teve o seminário e dois edifícios do escritório da igreja destruídos. Além dela, outras igrejas foram queimadas: 38 pertenciam à EKHC, 12 edifícios à Mekane Yesus, seis à Adventista do Sétimo Dia, dois edifícios à igreja Muluwongel, e outro pertencia à congregação "Only Jesus".

Segundo o pastor, “as mulheres e as crianças são as mais afetadas neste ataque súbito”. "É desnecessário mencionar que casas e propriedades de cristãos foram incendiadas... O custo total estimado pode chegar a mais de 3,55 milhões de dólares americanos.”

Constituição

De acordo com o Departamento de Estado Americano, o Relatório Internacional de Liberdade Religiosa de 2010 informa que a Constituição da Etiópia, suas leis e políticas em geral, respeitam a liberdade de religião, mas, ocasionalmente, algumas autoridades locais violam este direito.

Segundo o censo de 2007, 44% da população da Etiópia da Igreja Ortodoxa Etíope, 19% são evangélicos e pentecostais e 34% são muçulmanos sunitas.

Apesar de a Constituição respeitar a liberdade religiosa, em 2006 a história com os cristãos não foi diferente:eles foram  vítimas de violentos ataques no oeste da Etiópia e 24 pessoas morreram.

"Os ataques à igreja têm sido uma ocorrência comum em áreas predominantemente muçulmanas da Etiópia como Jimma e Jijiga", lamenta a fonte que pediu para não ser identificada. “Os cristãos são vítimas de assédio e intimidação.”

Os violentos combates eclodiram igualmente na fronteira do Quênia, da Etiópia e da Somália. Muitas vítimas e centenas de desabrigados surgiram quando as tropas etíopes tentavam repelir os soldados extremistas islâmicos da Al Shabaab de Bulahawo, na Somália, perto de Mandera, no Quênia.

Tradução: Carla Priscilla Silva

Fonte: Compass Direct

quarta-feira, 9 de março de 2011

As igrejas evangélicas estão crescendo, mas em qualidade ou apenas em quantidade?

As igrejas evangélicas estão crescendo, mas em qualidade ou apenas em quantidade?
Após ter lido a opinião de um leitor chamando os evangélicos de “Exércitos de alienados e fanáticos” o pastor e autor Ciro Sanches Zibordi refletiu em torno do grande crescimento numérico da Igreja evangélica no Brasil.

Hoje em seu blog, o pastor da Igreja Assembléia de Cordovil, RJ, escreveu que os evangélicos entusiásticos proclamam, “Em breve, o Brasil será predominantemente evangélico.” Mas ele diz que prefere ser “mais realista do que triunfalista.”

Para ele, há um número crescente de evangélicos que constam das estatísticas, “mas nunca viveram um Cristianismo genuinamente bíblico.”

“Ser Cristão, hoje, é ter privilégios e direitos; é ser senhor, e não servo; é encarar a obediência como uma virtude descartável,” disse ele.

Pastor Ciro demonstra sua preocupação citando uma publicação da Veja de 1994 que diz: “Está surgindo no país uma versão moderna, mais liberal e classe média do crente tradicional … esse novo evangélico é da pesada….”

“Temos valorizado extremamente a contextualização do Evangelho,” disse ele.

“Agimos como se fosse imperioso aculturar a nossa mensagem,” diz ele e critica o fato de “adaptar a mensagem do Evangelho à presente realidade.”

Segundo ele, esse é o argumento baseado na interpretação forçada de 1 Coríntios 9:22, “Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.” E questiona, é “o Evangelho que muda culturas, ou estas que mudam aquele?”

Falando sobre o público a ser alcançado, Ciro diz que os jovens estão sendo priorizados em detrimento de outros “públicos,” e urge que o Evangelho deve atingir todos, não somente a juventude.

“Sabemos que é necessário atrair os jovens e adolescentes para o caminho do Senhor. Mas, e os velhos? E as crianças? Todas as pessoas são almas preciosas para Deus.”

Mencionando Mateus 5:13-16 e Filipenses 2:5, ele diz que quanto mais “nos igualarmos aos incrédulos, tanto mais será difícil os evangelizarmos. Não havendo identidade, nos tornamos imperceptíveis.”

O pastor enfatizou que o evangelho deve ser transmitido da maneira como as pessoas precisam ouví-lo e que seguir a Jesus não é apenas deter “título de Cristão.”

“Quando o Senhor chamou seus discípulos, disse a cada um: ‘Segue-me’ (Mt 8:22; Lc 5:27; 9:59; Jo 1:43), pois Ele não queria ter fãs,” disse ele afirmando que muitos o seguiram maravilhados por seus milagres, mas
que depois o abandonaram, citando João 6:22-71.

A linguagem utilizada também é algo que o preocupa, explicando que a Bíblia ensina a ter uma “Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós (Tito 2.8).” Entretando ele advertiu que às vezes, “pronunciamos impropérios até em cima do púlpito.”
Com relação a música, Ciro comentou que a música secular erotizante “entrou com facilidade em nossos templos.”

“Algumas canções ditas cristãs sequer mencionam o nome de Jesus, e outras, não bastasse isso, possuem letras do tipo ‘quero sentir você me tocar,’ reforçadas por melodias voluptuosas.”

“Com a ascensão da chamada música gospel, o exibicionismo entrou em cena. Nossos púlpitos viraram palcos, e os cantores passaram a ser vistos como astros,” disse ele.

O pastor e autor tem esperança na união dos Cristãos em torno do “Evangelho da cruz, em prol de uma Igreja cheia do Espírito, avivada, perseverante na sã doutrina e mantenedora dos princípios verdadeiramente Cristãos.”

E deixou a sua pergunta ao final: “Ou será que já nos conformamos com este mundo?”

Fonte: Gospel+

Com blocos gospel e missionários no carnaval, evangélicos conseguem mais de 1000 para Cristo em Salvador

Com blocos gospel e missionários no carnaval, evangélicos conseguem mais de 1000 para Cristo em SalvadorNo período de Carnaval festa mais popular do Brasil entre 04 a 08 de março, os jovens cristãos do JOCUM estão trazendo mais de 1000 pessoas à Cristo em Salvador.

No carnaval de Salvador, cidade que recebe mais de 1 milhão e 500 mil pessoas para o evento, um grupo de Jovens Cristãos da Jovens Com Uma Missão JOCUM (Organização Missionária Evangelística) convocou um exército para fazer o evangelismo no carnaval.

Saindo e abordando pessoas na rua, eles trazem as pessoas para seus standes abordando temas como família, drogas e depois os levam a uma abordagem mais profunda falando de Cristo.
Jorge Santos responsável pelo “Impacto de Carnaval” do Ministério de Evangelismo no JOCUM em Salvador estima que irão conseguir converter mais de 1000 pessoas.

“O Carnaval de Salvador é um dos eventos mais populares do mundo. … Passam por aqui mais de 30 mil pessoas que estarão sendo evangelizadas.”

Segundo Jorge, são em torno de 400 missionários do JOCUM da região nordeste trabalhando como voluntários para o impacto evangelístico, juntamente com Igrejas locais.

Apesar do evento atrair grande público em que nota-se aumento do consumo de bebidas alcólicas e índice de gravidez, esse é um período em que muitos jovens saem para trazer as pessoas para Cristo.

“A expectativa é que Deus esteja abençoando muitas pessoas. Muitos serão alcançados e conhecerão a Jesus Cristo.”

Ele compartilhou que “um rapaz que estava afastado da Igreja foi abordado por um de nossos minssionários e agora … ele pôde entender o amor, ele não imaginava que iria encontrar alguém que fosse falar de Jesus para ele,” disse Jorge.

No Distrito Federal, os jovens do JOCUM testemunharam que estão convertendo cada um, 2 pessoas para Cristo por dia, segundo o diretor do JOCUM do distrito federal.

“Desta maneira, estes 100 jovens evangelistas trazem em média 200 pessoas por dia.”

Segundo ele o projeto de evangelismo consta de “redimir a cultura e não ir com a postura anti-carnaval… Queremos dar um significado novo ao carnaval… um significado bíblico.”

Outros grupos cristãos já participam dos desfiles de Carnaval com blocos de carnaval exclusivamente cristãos tais como o Bloco gospel Sal da Terra em Salvador e o Cara de Leão do Rio de Janeiro.

O Cara de Leão, no Rio de Janeiro, formado há 20 anos pelo Pastor Ezequiel Teixeira, dirigente da Igreja Projeto Vida Nova reúne todos os anos na época de carnaval centenas de membros da Igreja que desfilam distribuindo folhetos. Durante a sua passagem, o bloco pára estrategicamente em meio ao carnaval. Os pastores ministram a Palavra e orações específicas, passando mensagens sobre Jesus.

No ano passado, o Cara de Leão levou cinco mil componentes à Avenida Rio Branco, no centro do Rio de Janeiro.

Fonte: Christian Post

domingo, 6 de março de 2011

Blocos evangelísticos no PE e RJ se preparam para o Carnaval


       Não vamos entrar no mérito se é correto ou não blocos cristãos de carnaval, mas acontece que nos tempos de Folia, pipocam blocos evangelísticos pelo Brasil. Em Guararapes (PE) haverá o 1º Bloco Evangelístico com Trio Elétrico no período de carnaval.
        De acordo com pastor Márcio Boudoux duas bandas vão tocar no trio e haverá distribuição de água de graça para o público. “Falaremos que a água mata a sede do corpo, mas que Jesus é a água da Vida que mata para sempre a sede da nossa alma.” A iniciativa está sendo amplamente divulgada em todas as Igrejas Evangélicas  da região.
Há doze anos com ações evangelísticas na região de Recife e Olinda, desde 2010 a Igreja está focando no carnaval de Guararapes.
 Fundado há quase vinte anos pelo pastor Ezequiel Teixeira, dirigente da Igreja Projeto Vida Nova, o bloco Cara de Leão já virou uma tradição do carnaval carioca. Muito organizado, com alas, alegorias e até samba-enredo, a agremiação reúne centenas de membros da igreja e simpatizantes que desfilam distribuindo folhetos, evangelizando e até orando no meio da rua.Neste ano o bloco sairá no dia 08 de Março às 14h na Avenida Presidente Vargas.
Em São Paulo, a evangelização no Sambódromo de São Paulo acontecerá a partir desta sexta-feira, dia 04. Na Igreja Batista do Povo haverá treinamento às 20h e ação começa às 22h30.

Programação Trio Eletrico (PE):
Dia 07/03 das 8h às 12h -

Dia 08/03 das 12h às 16h.  Em frente ao BomPreço de Piedade na Av. Beira Mar.

PERSEGUIÇÃO| Seis pastores são assassinados em Honduras

Pastor Carlos Roberto Marroquín


Cristãos temem que igreja evangélica seja alvo de um ataque contra a obra no país

Os cristãos de muitas igrejas evangélicas em Honduras temem que estão sendo perseguidos após o assassinato de vários pastores nos últimos meses. De acordo com a Compass Direct News, o pastor Carlos Roberto Marroquín foi baleado na semana passada enquanto caminhava perto de seus cachorros para sua casa no bairro Aurora Colônia de San Pedro Sula, a segunda maior cidade do país.

Marroquín foi pastor fundador da Igreja Pentecostal de Deus, em San Pedro Sulam e uma figura proeminente em outras organizações cristãs, incluindo a Rede Latino-Americana de Advogados Cristãos. A polícia está tratando o caso do pastor como uma vítima de roubo quando os dois pistoleiros supostamente pediram para o pastor, 41 anos, entregar seu telefone celular.

No entanto, alguns cristãos temem que igreja evangélica seja alvo de um amplo ataque contra a obra da igreja no país. Pastor Roy Santos foi citado pela Compass Direct, dizendo que não acredita que o pastor Marroquín foi roubado, mas, sim, que foi assassinado. "As autoridades têm de agir. Ele era um homem que anunciava uma mensagem de esperança".

Misael Argeñal, um pastor do Ministério Harvest, desafiou as autoridades a lançar uma investigação completa sobre o assassinato do pastor Marroquín e outros obreiros. "Há seis pastores que morreram em Honduras nos últimos meses. Deve haver um projeto, uma escalada. As autoridades têm de investigar quem está por trás de tudo".

Oswaldo Canales, presidente da Associação Evangélica de Honduras, disse que Marroquín tinha recebido ameaças de morte antes do tiroteio, embora tenha acrescentado que isso não era incomum para os pastores da igreja evangélica. "Nós sempre estivemos sujeitos a ameaças, temos estado na mira dos que não estão em sintonia com o nosso pensamento", disse ele. Marroquín é o segundo pastor assassinado em Honduras este ano. Raymond Fuentes, o pastor de 43 anos da Nova Jerusalém, foi assassinado em 30 de janeiro. Sua morte ocorreu poucos dias após o assassinato da filha de um pastor evangélico.

Padre manda destruir igreja evangélica no Piauí

 

                                      
Os moradores do bairro Baixão da Guiomar acusam o Prefeito de São Raimundo Nonato (Piauí), Padre Herculano de Negreiros, de mandar, sem autorização judicial, derrubar uma Igreja Evangélica.

De acordo com a Sra. Maria Teresa Brito, proprietária do local, abalada, diz que a igreja não está na rua, ela tem a documentação registrada em cartório do local.

Os moradores se dizem indignados com a atitude do Prefeito Herculano que mandou um trator junto com a Polícia Militar destruir a igreja.

De acordo com a Polícia Militar, existe um decreto de n° 153/2001, que solicita a Polícia Militar acompanhar os fiscais para demolir a Igreja com o Ofício de n° 063. Segundo, ainda, o Tenente da Polícia Militar, o proprietário já havia recebido várias notificações. 

A proprietária Maria Brito esteve abalada e chorou bastante quando viu a Igreja destruída. Sua casa que fica ao lado teve paredes rachadas e segundo ela, toda a população está chocada.
Fonte: Notícias Cristãs com informações do Ai5Piaui.com

Via: http://www.guiame.com.br/

Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"