chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

terça-feira, 31 de maio de 2011

A ASSEMBLÉIA NÃO É DE A OU B

Pastor José Wellington diz que seu compromisso é com a doutrina
                          

A ASSEMBLÉIA NÃO É DE A OU B

    Em sua sala no Belenzinho, em São Paulo, no subsolo do templo da Assembleia de Deus, pastor José Wellington Bezerra  da Costa, de 77 anos, recebeu a equipe do Creio para um bate papo. Na pauta o centenário da Assembleia de Deus e o futuro da denominação, a maior do Brasil. Desde 1987 à frente da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB), rebate as críticas de seus opositores, Silas Malafaia e Samuel Câmara, e confirma que a denominação está unida. ”A Igreja não é de A ou B”

        Vindo do Ceará, pastor José Wellington reafirma sua postura firme fruto do ensinamento que recebeu de família. “É melhor dormir com fome, do que acordar com dívida”, repetiu o ensinamento dado por sua mãe. Desde 1987 à frente da CGADB, eleito por sete vezes, ele diz que não dá nenhum passo fora da direção de Deus. “Se Deus disser basta,  eu entrego a direção, não vejo problema”, dispara o líder que tem em seu ministério 2,3 mil congregações e se vê envolvido na construção de um grande templo para 10 mil pessoas.
        Com saúde de ferro – item comemorado- o assembleiano disse que ficou muito desgastado na última eleição da Convenção. “ Foram muitas calúnias”, declarou: “ O desejo deles é a CPAD. Quando assumi a entidade tinha R$ 1,5 milhão em duplicatas. Assumi a empresa, profissionalizei a gestão com irmão Ronaldo. Hoje, mesmo sem fins lucrativos, a empresa caminha com excelência”
        Sobre a identidade assembleiana, José Wellington continua sua tese: “Nós temos influência dos suecos, temos  doutrina firme. Nosso objetivo é salvação e edificação. O deles é baseado nos americanos com atos midiáticos e comércio. Eles se amoldam a determinados costumes que não nos adaptamos." Sobre o futuro da Assembleia de Deus ele finaliza: “A AD é uma árvore que dá muitos frutos. Unidos nós estamos.”
Fonte: CREIO

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Pastor Marcos Pereira salva homem de "tribunal" do tráfico no Rio

Noticias Gospel Brasil - Pastor Marcos Pereira salva homem de

 


Ex-presidiário que confessou praticar roubos na Zona Sul, Jorge Osmar Anastácio Ventura, de 54 anos, se entregou ontem na 14ª DP (Leblon) depois de ter baleado um homem na cabeça, no Morro do Vidigal, e ser salvo do 'tribunal' do tráfico pelo pastor Marcos Pereira, da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias.
O crime ocorreu na noite de sexta-feira, quando, após discussão em um bar, Jorge acabou acertando um tiro na testa do pedreiro Sebastião Isidoro Moreira Filho, de 35 anos. A vítima foi levada para o Hospital Miguel Couto, onde permanecia em coma até a noite de ontem, 29.
Após o crime, Jorge Osmar foi capturado por traficantes do Vidigal e amarrado com fita crepe em matagal próximo à favela. Na manhã de ontem, o pastor Marcos foi chamado por moradores da comunidade, enquanto o atirador era 'julgado' por traficantes e conseguiu evitar a condenação.
"Joguei os demônios dos bandidos no chão e saí com o homem", afirmou o pastor, que, em seguida, levou o criminoso à delegacia, com um advogado da igreja.
Jorge confessou, depois de fazer o disparo, que desfez da arma. Ele também admitiu praticar roubos na região. O atirador fora condenado por tráfico de drogas e roubo, cumpriu nove anos de prisão e teve ontem pedida a prisão preventiva. Vai responder agora por tentativa de homicídio.

Fonte: Terra


sexta-feira, 27 de maio de 2011

Centenário da Assembléia De Deus

Centro de Convenções do Centenário beneficiará o setor de turismo em Belém


As obras seguem em ritmo acelerado pois a inauguração do espaço acontecerá no dia 16 de junho
                          Centro de Convenções do Centenário beneficiará o setor de turismo em Belém

Já está em fase final a construção do Centro de Convenções do Centenário, um espaço erguido pela Assembleia de Deus do Belém, Pará, para a comemoração dos 100 anos da igreja.

Além de servir como espaço para os eventos da igreja, o centro também aquecerá o setor de turismo e eventos do Estado.

“Já temos solicitações de agendamento para cada mês”, diz o pastor Samuel Câmara, líder da Assembleia de Deus no Pará. “Isso vai ser importantíssimo para a economia de Belém e vai alavancar o turismo de negócios, principalmente porque estamos criando um roteiro histórico para um futuro turismo religioso”, diz.
Para terminar a obra antes da inauguração, no dia 16 de junho, 98 operários estão envolvidos no trabalho do Centro que segue em ritmo acelerado.

“Estamos finalizando a central de ar-condicionado, a pavimentação externa, já começamos o paisagismo,
vamos fazer o gradil central, com o estacionamento, as instalações todas”, diz o engenheiro Gerônimo Milan, responsável técnico pela obra.

A ideia de construir o Centro de Convenções partiu de um certo desdém no sul do país em relação à capacidade de Belém de abrigar, com boa estrutura, as celebrações do Centenário. “Queriam roubar nossa festa. Diziam que não tínhamos condições. Criamos um centro cujo ar-condicionado é mais potente que o do aeroporto. Foi projetado para refrigerar bem no pico do calor de três da tarde. Belém está dando uma surra em todo mundo”, orgulha-se Câmara.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Diário On-line

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Deputados da frente evangélica e católica

Deputados da frente evangélica e católica pretendem anular decisão do STF sobre união gay

Se for acatado o documento invalidará a decisão e todos os atos decorrentes dela
                                           Deputados da frente evangélica e católica pretendem
                                                         anular decisão do STF sobre união gay

Deputados evangélicos e católicos protocolam documento para sustar a decisão do Supremo Tribunal Federal que reconheceu como entidade familiar a união entre pessoas do mesmo sexo.

Os parlamentares se reuniram na noite desta quarta-feira, 25, juntamente com o presidente da Câmara, deputado Marco Maia, para protocolar um Projeto de Decreto Legislativo que tem o objetivo de anular a decisão do STF e todos os atos decorrentes dessa decisão.

O texto do documento declara que o Supremo agiu contra sua principal função que é julgar os casos em cima da Constituição Federal e do Código Civil. Citando trechos dessas cartas os deputados caracterizavam a decisão como inconstitucional e por isso tem que ser suspensa.

O PDL tem cinco páginas e é assinado pelo deputado João Campos, presidente da FPE, que conseguiu o apoio de outros deputados para levar esse projeto à diante.

Clique aqui ter acesso ao documento na íntegra

Fonte: Gospel Prime

Entrada principal da Igreja Mundial do P,D é fechada pela justiça

As outras duas entradas estarão abertas por apenas 90 dias quando o templo deverá fechar para reformas
                               Entrada principal da Igreja Mundial do Poder de Deus é fechada pela justiça

Na quarta-fera, 25, a Justiça de São Paulo determinou o fechamento da entrada principal da Igreja Mundial do Reino de Deus localizada no bairro do Brás, região central da capital paulista.

Essa entrada fica na Rua Carneiro Leão e os moradores dessa rua reclamam constantemente do barulho que os membros fazem aos domingos pela manhã. O culto recebe até 15 mil pessoas.

Com a entrada principal lacrada, os fieis terão que utilizar duas outras portas para ter acesso ao interior do templo, uma na Rua Visconde de Parnaíba e outra na Rua Caetano Pinto, essas entradas só poderão funcionar por mais 90 dias.

A juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13.ª Vara da Fazenda Pública, determinou que o templo seja fechado para que haja reformas.

A mesma juíza havia liberado o templo em 14 de dezembro, mas voltou atrás da decisão alegando que a igreja de Valdemiro Santiago não realizou as obras necessárias e também não obedeceu ao limite máximo de 8 mil pessoas por culto.

Os vizinhos da IMPD também reclamam do comércio ilegal que se forma nos arredores da igreja e contestam que a igreja não faz nada para coibir o trabalho dos ambulantes.

Outra determinação da juíza foi para que nenhum culto tenha início antes das 9h. A sentença foi emitida após o Ministério Público enviar parecer à Justiça no qual diz que o templo emite “ruídos insuportáveis”.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Estadão

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Após pressão de evangélicos, Dilma Rousseff manda suspender kit gay

Governo se propõe a discutir com a sociedade todo assunto que envolver costumes
                                  Após pressão de evangélicos, Dilma Rousseff manda suspender kit gay

Após protestos das bancadas religiosas no Congresso, a presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira, 25, a suspensão do “kit anti-homofobia”, projeto do Ministério da Educação que seria distribuído para escolas públicas com o objetivo de diminuir a discriminação entre homossexuais.

A decisão foi anunciada pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gilberto Carvalho que anunciou também que de agora em diante todo material que versar sobre “costumes” terá de passar pelo crivo da coordenação-geral da Presidência e por um amplo debate com a sociedade civil.

Segundo o ministro, a determinação do governo não é um “recuo” na política de educacional contrária à homofobia. “Não se trata de recuo. Se trata de um processo de consulta que o governo passará a fazer, como faz em outros temas também, porque isso é parte vigente da democracia”, disse.

Os parlamentares das Frentes Evangélicas, Católicas e da Família estavam dispostos a tomarem várias medidas para que o projeto do MEC fosse alterado. Entre as medidas estavam até a tirada do ministro da Educação, Fernando Haddad, do cargo.

Fonte: Gospel Prime

Evangélicos ameaçaram convocar Palocci para vetar distribuição do kit gay

Governo cede e decide suspender o projeto do MEC
                               Evangélicos ameaçaram convocar Palocci para vetar distribuição do kit gay

Na terça-feira, 24, parlamentares das Frentes Evangélica, Católica e da Família se reuniram de forma emergencial para discutir medidas que seriam tomadas para forçar o governo a alterar o material do chamado kit gay elaborado por ONGs a pedido do ministério da Educação.

A reunião foi marcada porque os parlamentares se sentiram desrespeitados pelo ministro Fernando Haddad que mentiu ao dizer-lhes que alteraria o material e depois revelou à imprensa que não mudaria nada, já que as cartilhas e os vídeos que serão distribuídos em 6 mil escolas públicas já estão prontos.

De acordo com o deputado João Campos (PSDB – CE), líder da bancada evangélica, se o governo insistisse em manter o kit, eles bloqueariam a votação na Câmara e apoiariam a convocação do ministro Palocci para dar explicações.

Além dessa convocação ao ministro da Casa Civil os parlamentares cogitavam outras medidas como a saída do Ministro da Educação; a criação de uma CPI para apurar as denuncias de irregularidades no MEC; a obstrução de todas votações do plenário e também a convocação do ministro Fernando Haddad, na comissão de Educação e Cultura, para explicar as cartilhas sobre homofobia.

Essa reunião ganhou grandes proporções no Congresso e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho,  foi ao encontro dos parlamentares para dizer que a Presidente Dilma Rousselff decidiu cancelar a distribuição do kit gay.

Fonte: Gospel Prime

Magno Malta anuncia debates sobre projeto que criminaliza a homofobia

A intenção é fazer uma audiência pública para ouvir todos os representantes da sociedade
                                    Magno Malta anuncia debates sobre projeto que criminaliza a homofobia

Em seu discurso no Plenário, nesta terça-feira, 24, o senador Magno Malta (PR-ES) informou que Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) vai realizar audiências públicas para discutir o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/06, da ex-deputada Iara Bernardi, que criminaliza a homofobia.

O senador disse que é preciso “discutir tudo, saber o que o país pensa”. Ele propôs que sejam convocados para a audiência pública representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Confederação Islâmica, além de “budistas, bombeiros, anônimos, artistas, evangélicos e católicos”.

Seu discurso ele ressaltou que está em discussão não um credo religioso, mas o interesse das famílias. “Não podemos engolir uma história de uma meia dúzia barulhenta que decide as coisas e acha que vai suplantar a família brasileira nos seus interesses.”

O representante capixaba disse que no dia 1º de junho será realizada uma grande marcha em Brasília, com pessoas de toda parte do Brasil, “para dizer que a família brasileira não está dormindo diante de uma minoria barulhenta”.

Magno Malta também relatou que por várias vezes tentou marcar reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, que não mostrou interesse em atender o senador. “O ministro não respeita parlamentar, não respeita a base do governo, não atende líder de governo, não retorna telefonema”. Para ele, o ministro se comportou como fosse um dos “deuses do Olímpio,” disse o senador cristão.

Agora Magno Malta pediu a ajuda do líder do governo no Senado Federal, senador Romero Jucá (PMDB-RR), para conseguir uma audiência com o ministro da Educação, Fernando Haddad, no intuito de discutir o que chamou de “kit homossexual” que será distribuído nas escolas brasileiras.

“Sabe o que vai acontecer? O estado agora quer desfazer tudo aquilo o que a família ensina em casa. Na verdade, não é criar consciência: este kit homossexual que está sendo pronto, para distribuição nas escolas, vai fazer das nossas escolas verdadeiras academias de homossexuais,” declarou.

O senador informou ainda que em seu estado uma menina de 17 anos tentou beijar a boca de uma criança de 11 anos de idade, depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu a união entre pessoas do mesmo sexo. De acordo com ele, e a criança foi espancada, porque não quis ser beijada. Ele lamentou a decisão do STF – “foi um mal para este país” – e perguntou: Onde é que nós vamos parar?

Fonte: Gospel Prime
Com informações Agencia Senado

segunda-feira, 23 de maio de 2011

A onde vamos parar, So jesus pr ter misericordia!

Samuel Ferreira é destaque na revista Isto É; “Um pastor moderno entre os radicais”


Um dos líderes da AD, a maior e uma das mais conservadoras igrejas evangélicas do Brasil, Samuel Ferreira rompe tradições, libera costumes e atrai fiéis para o seu templo
                                             Samuel Ferreira é destaque na revista Isto É; 
                                            “Um pastor moderno entre os radicais”

O evangélico desavisado que entrar no número 560 da ave­nida Celso Garcia, no bairro paulistano do Brás, poderá achar que não está entrando em um culto da Assembleia de Deus. Maior denominação pentecostal do País – estima-se que tenha 15 milhões de adeptos, cerca de metade dos protestantes brasileiros –, historicamente ela foi caracterizada pela postura austera, pelo comedimento na conduta e, principalmente, pelas vestimentas discretas de seus membros. Por conta dessa última particularidade, tornou-se folclórica por forçar seus fiéis a celebrarem sempre, no caso dos homens, de terno e gravata e, entre elas, de saia comprida, camisa fechada até o punho e cabelos longos que deveriam passar longe de tesouras e tinturas. Era a igreja do “não pode”. Não podia, só para citar algumas interdições extratemplo, ver tevê, praticar esporte e cultuar ritmos musicais brasileiros. A justificativa era ao mesmo tempo simples e definitiva: eram coisas do capeta.

No templo do Brás, porém, às 19h30 do domingo 15, um grupo de cerca de vinte fiéis fazia coreografias, ao lado do púlpito, ao som de uma batida funkeada. Seus componentes – mulheres maquiadas e com cabelos curtos tingidos, calça jeans justa e joias combinando com o salto alto; homens usando camiseta e exibindo corte de cabelo black power – outrora sofreriam sanções, como uma expulsão, por conta de tais “ousadias”. Mas ali eram ovacionados por uma plateia formada por gente vestida de forma parecida, bem informal. Palmas, também proibidas nas celebrações tradicionais, eram requisitadas pelo pastor Samuel de Castro Ferreira, líder do templo e um dos responsáveis por essa mudança de mentalidade na estrutura da Assembleia de Deus, denominação nascida em Belém, no Pará, que irá festejar seu centenário no mês que vem. “Muitos chamam de revolução, mas o que eu faço é uma pregação de um evangelho puro, sem acessórios pesados”, afirma ele, 43 anos, casado há vinte com a pastora Keila, 39, e pai de Manoel, 18, e Marinna, 14. “A maior igreja evangélica do País está vivendo um redescobrimento.”

Sentado em uma cadeira logo ao lado do coral, Ferreira, que assistiu à televisão pela primeira vez na casa do vizinho, aos 7 anos, escondido do pai, Manoel Ferreira, pastor assembleiano, desliza o dedo indicador em um iPad segunda geração enquanto o culto se desenrola. Acessa a sua recém criada página no Twitter por meio da qual, em apenas um mês, amealhou mais de 110 mil seguidores. Quando se levanta para pregar a palavra, deixa visível o corte alinhado de seu terno e a gravata que combina com o conjunto social. Não que o pastor se furte em pregar de jeans, tênis e camisa esporte – tem predileção por peças da Hugo Boss –, como faz em encontros de jovens. “Samuel representa a Assembleia de Deus moderna, com cara de (Igreja) Renascer (em Cristo)”, opina o doutorando em ciências da religião Gedeon Alencar, autor de “Assembleias de Deus – Origem, Implantação e Militância” (1911-1946), editora Arte Editorial. “Os mais antigos, porém, acham o estilo dele abominável.”

Natural de Garça, interior de São Paulo, formado em direito e com uma faculdade de psicologia incompleta, Ferreira é vice-presidente da Convenção de Madureira, que é comandada por seu pai há 25 anos e da qual fazem parte 25 mil templos no Brasil, entre eles o do Brás. Os assembleianos não são uma comunidade unificada em torno de um líder. Há, ainda, os que seguem a Convenção Geral, considerada o conglomerado mais poderoso, e o grupo formado por igrejas autônomas. Ferreira assumiu o templo da região central da capital paulista há cinco anos e passou a romper com as tradições. Ao mesmo tempo, encarou uma cirurgia de redução de estômago para perder parte dos 144 quilos. “Usar calça comprida é um pecado absurdo que recaía sobre as irmãs. Não agride a Deus, então liberei”, diz o pastor, 81 quilos, que até hoje não sabe nadar e andar de bicicleta porque, em nome da crença religiosa, foi proibido de praticar na infância e na adolescência.

Sua Assembleia do “pode” tem agradado aos fiéis. “Meu pai não permitia que eu pintasse as unhas, raspasse os pelos ou cortasse o cabelo”, conta a dona de casa Jussara da Silva, 49 anos. “Furei as orelhas só depois dos 40 anos. Faz pouco tempo, também, que faço luzes”, afirma Raquel Monteiro Pedro, 47 anos, gerente administrativa. Devidamente maquiadas, as duas desfilavam seus cabelos curtos e tingidos adornados por joias pelo salão do Brás, cuja arquitetura, mais parecida com a de um anfiteatro, também se distingue das igrejas mais conservadoras.

A relativização dos costumes da Assembleia de Deus se dá em uma época em que não é mais possível dizer aos fiéis que Deus não quer que eles tenham vaidade. A denominação trabalha para atender a novas demandas da burguesia assembleiana, que, se não faz parte da classe média, está muito perto dela, é urbana e frequenta universidades. É esse filão que está sendo disputado. Uma outra igreja paulista já promoveu show no Playcenter. No Rio de Janeiro, uma Assembleia de Deus organiza o que chama de Festa Jesuína, em alusão à Festa Junina. Segundo o estudioso Alencar, as antigas proibições davam sentido ao substrato de pobreza do qual faziam parte a grande maioria dos membros da Assembleia de Deus. “Era confortável para o fiel que não tinha condição de comprar uma televisão dizer que ela é coisa do diabo. Assim, ele vai satanizando o que não tem acesso.”

Importante figura no mundo assembleiano, o pastor José Wellington Bezerra da Costa, 76 anos, presidente da Convenção Geral, não é adepto da corrente liberal. “Samuel é um menino bom, inteligente, mas é liberal na questão dos costumes e descambou a abrir a porta do comportamento”, afirma. Ferreira, por outro lado, se diz conservador, principalmente na questão dos dogmas. Em suas celebrações, há o momento do dízimo, do louvor, da adoração e um coral clássico. Ao mesmo tempo, é o torcedor do Corinthians que tuita pelo celular até de madrugada – dia desses, postou que saboreava um sorvete às 4h30 –, viaja de avião particular e não abre mão de roupas de grife. Um legítimo pastor do século XXI.


Fonte: Isto É

sábado, 21 de maio de 2011

Centenário:

Centenário: Vereadores de Belém protestam contra eventos paralelos organizados pela CGADB

A nota de repúdio diz que o desejo da convenção geral é atrapalhar o evento do Centenário
                      Centenário: Vereadores de Belém protestam contra eventos paralelos organizados pela CGADB

A câmara municipal de Belém do Pará emitiu um documento de protesto contra as ações da Convenção Geral das Assembleia de Deus no Brasil (CGADB) e da Convenção de Ministros e Igrejas Evangélicas da Assembleia de Deus do Estado do Pará (COMIEADEPA) que estão organizando eventos paralelos aos coordenados pela igreja-mãe para comemorar o Centenário das Assembleias de Deus.

Os vereadores entenderam que o objetivo das convenções é atrapalhar o evento da igreja presidida pelo pastor Samuel Câmara que é considerada como um patrimônio Histórico e Cultural da cidade.

O requerimento da Câmara dá votos de protesto contra a CGADB e a COMIEADEPA “por convocarem todas as igrejas do Estado do Pará e do Brasil para uma festa paralela do Centenário, sem convocar a igreja-mãe e, por conseguinte atrapalhando o evento do Centenário da Igreja-mãe.”

“É no mínimo lamentável, vergonhoso e desonroso que os dirigentes nacionais das Assembleias de Deus não reconheçam a igreja-mãe ‘principal motivo da festa do Centenário’ como parte integrada das comemorações a nível nacional chegando até a fazer uma programação paralela uma semana antes da programação oficial da igreja-mãe”, diz o texto de justificativa.

Para eles o motivo das comemorações antecipadas é impossibilitar que os pastores e membros de todo o Brasil estejam presentes na festa programada pela AD de Belém.

O primeiro a denunciar as intenções da CGADB foi o pastor Silas Malafaia que por duas vezes usou seu programa de TV, Vitória em Cristo, para reclamar das atitudes do pastor José Wellington, presidente da convenção, de usar disputas políticas como desculpa para tentar atrapalhar as comemorações da igreja-mãe só por ela ser liderada pelo pastor Samuel Câmara que por diversas vezes se candidatou ao cargo de presidente da CGADB.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Assessoria

A teofobia neste país é maior que a homofobia, diz pr Daniel Sampaio

Comparando a PL 122 com a AI5 o pastor apoia a manifestação organizada por Silas Malafaia
                                  A teofobia neste país é maior que a homofobia, diz pastor Daniel Sampaio

O pastor Daniel Sampaio voltou a falar sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a aprovação da união estável entre pessoas do mesmo sexo e também falou sobre o Projeto de Lei 122/2006 que está para ser votado no Senado.

No novo vídeo, o pastor da Igreja Batista Central do Barreiro, Belo Horizonte (MG) mostra dados de que os homossexuais não são tão vítimas da violência como dizem e também revela que o Governo está do lado deles querendo instaurar uma ditadura gay no país.

“O movimento gay, que faz parte da esquerda radical, está cometendo um erro grotesco”, diz o pastor sobre a PL 122. Para ele esses grupos estão querendo discutir não a liberdade, mas quem tem o privilégio de exercer tirania sobre o outro.

Sampaio também mostra sua indignação contra os comentários que teve no primeiro vídeo que foi postado no Youtube. Mesmo sem falar contra os homossexuais, foi ofendido e acusado por muitos gays que postaram comentários no vídeo. O pastor chamou esses atos de “teofobia” e “pastorofobia”.

“Eles se julgam no direito de atacar, de humilhar e querem calar nossa boca para não dizer que o homossexualismo é pecado”, expressou o pastor que ainda concluiu, “dizem que o governo é laico, mas é mentira! Ele deixou de ser laico quando virou teofóbico”.

O pastor que tem um programa na Rede Super comentou que a PL 122, desarquivada pela senadora Marta Suplicy (PT-SP) é totalmente inconstitucional ao punir a livre manifestação do pensamento, querendo tratar como fobia toda opinião diferente.

“Essa é a AI 5 dos gays” disse Sampaio, ao comparar o polêmico projeto com o ato inconstitucional imposto no período de ditadura. “Querem calar a boca da igreja como se isso fosse possível, mas eu sou livre pra expressar minha opinião e para criar o meu filho”, completou.

Em seu manifesto o pastor manda um recado aos governantes: “Faz mais cadeia porque não vai caber todo mundo!” Ele confessa que apoia o pastor Silas Malafaia e que fará parte da manifestação que acontecerá no dia 1 de junho em Brasília.

Assista ao vídeo:




Fonte: Gospel Prime

sexta-feira, 20 de maio de 2011

DIA DA IGREJA PERSEGUIDA

Mais de 2 mil igrejas confirmaram. E a sua?

Todos os anos, a Portas Abertas patrocina o Domingo da Igreja Perseguida, conhecido como DIP. Este ano, ele acontecerá no dia 19 de junho e já conta com a participação de mais de 2620 igrejas cadastradas.


Este dia é programado para que as igrejas, tanto as brasileiras como as espalhadas pelo mundo, separem seus cultos à lembrança da Igreja Perseguida. Para tanto, a Portas Abertas prepara vários materiais a fim de facilitar a organização do evento. Vídeos dublados, ideias de atividades infantis, sugestões de peças teatrais e de pregações são algumas das ferramentas que os organizadores recebem para facilitar a realização o DIP. Além disso, as igrejas cadastradas até o dia 25 de maio receberão um kit de organizador. 

No dia 07 de maio, aconteceu o Pré-DIP, uma reunião que antecede o evento para que os organizadores tenham a oportunidade de trocar experiências e conhecer um pouco mais sobre como realizar o DIP com eficiência. Este ano, o encontro ocorreu em 10 estados brasileiros.

Dentre as 2.620 igrejas que registraram presença no evento, 52% estão participando pela primeira vez.

As igrejas interessadas em participar do DIP 2011 podem se cadastrar a qualquer momento e fazer o download de todo o material que está disponível no site www.domingodaigrejaperseguida.org.br

A Portas Abertas produziu uma chamada sobre o evento em vídeo e em áudio para televisões e rádios.




Fonte: Redação Creio http://www.creio.com.br/

Colunista da Veja afirma que Ministro da Educação

mentiu aos parlamentares evangélicos


Reinaldo Azevedo faz um texto contradizendo o Haddad e também um articulista do jornal Folha de SP
                         Colunista da Veja afirma que Ministro da Educação mentiu aos parlamentares evangélicos

Em seu blog no site da Veja, o jornalista Reinaldo Azevedo escreveu um texto desmentindo o ministro da Educação, Fernanda Haddad que esteve essa semana com deputados da Frente Parlamentar Evangélica e também com católicos para explicar o conteúdo do polêmico kit anti-homofobia que será distribuído nas
escolas públicas.

O jornalista comemora que até aquele momento nenhum representante brasileiro não-gay havia sido chamado para discutir o assunto. “É a primeira vez que brasileiros não-gays estão sendo chamados a debater o assunto. Até a pouco, a questão estava entregue apenas a ONGs estrangeiras e à militância gay, como se o público-alvo do programa não fosse o conjunto dos estudantes.”

Para Azevedo o MEC tem sim culpa nos folhetos e nos vídeos que vazaram para a imprensa e que chegou às mãos dos parlamentares trazendo indignação aos mais conservadores que prometeram não votar em nenhum dos projetos em pauta no Congresso até que esse material seja recolhido.

“Aos congressistas, assegurou que filmes e cartilhas que circulam por aí ainda não são de responsabilidade do Ministério. (…) Conversa mole, e ele sabe disso muito bem. Pode ainda não ser o produto final, mas tudo foi elaborado sob o comando do governo federal”, escreveu o jornalista.

Lembrando do dia que o material didático contra a homofobia nas escolas foi apresentado, o colunista da Veja comprova que o MEC tinha conhecimento do conteúdo do programa.

O texto publicado na última quinta-feira, 19, também contesta os dizeres de um colunista da Folha de São Paulo que não achou certo o ministro da Educação sentar com os parlamentares que ele chamou ironicamente de “Bancada da Bíblia” para falar de um assunto que o Livro já condena.
Confira o texto na integra aqui.

Fonte: Gospel Prime

Homem corta e rouba cabelo de evangélica em ônibus de GO

‘Evangélica tinha cabelo virgem e longo que vale dinheiro’, diz delegado. Polícia ainda não tem suspeita de quem seriam os criminosos.
                                              Homem corta e rouba cabelo de evangélica em ônibus de GO
 
Uma mulher de 24 anos teve o cabelo cortado e levado por ladrões na tarde de quinta-feira (19) no terminal de ônibus do bairro Jardim Novo Mundo, em Goiânia. Segundo o delegado José Carlos Bezerra da Silva, que registrou o caso no 19º Distrito Policial da cidade, a mulher é evangélica e “tinha um cabelo longo e virgem”.

Ele acredita que o objetivo dos criminosos é vender o cabelo cortado. “O quilo do cabelo virgem, sem produto químico, vale muito aqui”, disse o delegado ao G1. O cabelo é denominado virgem quando natural, que nunca sofreu alteração química ou tinturas.

Conforme Silva, a mulher percebeu a aproximação de um homem no terminal de ônibus, mas acreditou que a intenção do ladrão era roubar a sua bolsa e, por isso, puxou-a para frente do corpo.
“Nesta hora o cabelo, que era longo, abaixo da cintura, ficou desprotegido”, afirmou o delegado.

“Estou na Polícia Civil de Goiás há 20 anos e é a primeira vez que veja uma ocorrência assim”, acrescenta

Silva. O delegado diz que o boletim de ocorrência foi feito porque a evangélica precisava “dar uma satisfação para o pastor”.

Os longos cabelos foram cortados com um estilete. A polícia investiga o caso e ainda não tem suspeitos

Fonte: G1.Gospel Prime

quarta-feira, 18 de maio de 2011

PRESSÃO TOTAL CONTRA KIT GAYS

Bancada evangélica diz que trancará pauta no Senado em retaliação
    O vice-presidente da Frente Parlamentar evangélica, o deputado Anthony Garotinho (PR/RJ) disse nesta terça-feira, 17, que a bancada evangélica, composta por 74 deputados, não votará "nada", até que o governo recolha vídeos anti-homofobia.
   Esse material, que ainda está sob análise do Ministério da Educação, poderá ser distribuído para alunos do ensino médio das escolas públicas.
    Segundo o deputado, a decisão da bancada evangélica foi tomada durante uma reunião na tarde desta terça-feira. Garotinho fez as ameaças no plenário da Câmara e foi apoiado por outros deputados.
    "Esses livros ensinam inclusive a fazer sexo anal", disse. "Não se vota nada enquanto não se recolher esse absurdo", completou.
    De acordo com o MEC, o kit de combate à homofobia nas escolas deverá ser composto de três vídeos e um guia de orientação aos professores. A ideia, ainda em análise, é enviá-los a 6.000 escolas de ensino médio no segundo semestre de 2011.
    Com duração média de 5 minutos, os vídeos serão trabalhados em sala de aula pelos professores e não serão distribuídos aos alunos. O material irá tratar dos seguintes temas: transsexualidade, bissexualidade e a relação entre duas meninas lésbicas.

PROTESTO
      Novos projetos que ampliam os direitos dos casais do mesmo sexo levaram muita gente a Brasília nesta segunda-feira, 17.
     No Dia Mundial de Combate à Homofobia, um seminário lotou o auditório Nereu Ramos, na Câmara. Eles já discutem mudar a Constituição, que fala em casamento entre homem e mulher, para permitir que seja apenas entre pessoas. Há poucos dias, a união estável, com suas consequências, foi reconhecida no Supremo Tribunal Federal.
     O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), maior opositor da causa gay no Congresso, foi até a entrada do seminário. “Se me convidarem, eu vou. Mas será que eles vão me convidar?”, indagou.
    Ninguém convidou, mas não faltou coragem entre os participantes. “Eu sou negra e bissexual assumidamente”, afirmou a cantora Preta Gil.
     Artistas, políticos e integrantes do movimento que inclui lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais participaram do encontro. Com a bandeira que simboliza o grupo, um casal lembrou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que reconheceu a união estável homoafetiva.
    “Todos são iguais perante a lei e não haverá discriminação de qualquer natureza”, discursou o casal, sob aplausos.
    Depois da vitória no Judiciário, os integrantes do movimento querem aprovar leis no Congresso que garantam mais direitos. Com a decisão do Supremo, eles podem registrar no cartório apenas a união estável. Querem conquistar agora a possibilidade do casamento civil.
    Para isso, é preciso aprovar uma emenda à Constituição. O autor da proposta, deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), está em busca das assinaturas necessárias para apresentar o projeto.
    “Assegurar o casamento civil e a união estável na Constituição. Ou seja, deixar de ser uma decisão do Judiciário e passar a ser um direito contemplado na Constituição Federal”, defendeu o deputado Jean Wyllys.
    Lutam também por outro projeto: o que torna crime a homofobia, ou seja, discriminação contra homossexuais. Eles entregaram um abaixo-assinado com cem mil assinaturas.
    “Eu prefiro ter como prioridade o combate à homofobia nesse momento. A gente tem de dar um passo por vez, uma questão por vez, e é um caminho longo, de paciência, de alinhavo, de conversa. De dar um passo e depois dar outro”, afirmou a relatora, senadora Marta Suplicy (PT-SP).
    A proposta para tornar crime a homofobia foi apresentada no Senado em 2006. Tramita na Comissão de Direitos Humanos, mas não há previsão para ser votada. A bancada religiosa, principalmente, quer definir uma questão essencial: o que seria discriminação que configure crime de homofobia.


Data: 18/5/2011 09:13:16
Fonte: Ricardo Noblat (O Globo) / Bom dia Brasil

Belém ganha uma avenida que homenageia o Centenário das AD

                  Prefeito sanciona a mudança do nome da Avenida como parte das comemorações
                        Belém ganha uma avenida que homenageia o Centenário das Assembleias de Deus

O prefeito da cidade de Belém (PA), Duciomar Costa, sancionou nesta terça-feira, 17, a homologação da Avenida Centenário, uma homenagem a comemoração dos 100 anos da Igreja Assembleia de Deus.

O ato aconteceu no Centenário Centro de Convenções e contou com a participação de mais de 80 pessoas entre vereadores municipais, o pastor Samuel Câmara (presidente da Assembleia de Deus em Belém) e demais membros da Igreja.

A lei altera o nome da antiga Avenida Dalcínio Jurandir – que liga as avenidas Júlio Cezar e Augusto Montenegro – para avenida Centenário da Assembleia de Deus. O projeto de lei foi aprovado por unanimidade em abril pelos vereadores da Câmara Municipal de Belém.

Na ocasião Duciomar Costa ressaltou a importância da Assembleia de Deus não só para a comunidade cristã evangélica, mas para a sociedade em geral, já que a Igreja nasceu em solos paraenses e se disseminou por mais 176 países, firmando-se como um patrimônio histórico e cultural de Belém.

“É um orgulho fazer parte dessa história e a avenida Centenário é mais uma prova de que aos olhos de Deus nada é impossível. Sempre digo que quando Deus quer, o homem sonha e a obra nasce. O projeto de lei da avenida, o Centro de Convenções e a inauguração do Museu Nacional da Assembleia de Deus são exemplos disso. É uma honra para mim e para toda a Câmara Municipal sancionar essa lei hoje, neste lugar abençoado”, afirmou o prefeito de Belém.

Emocionado, o pastor Samuel Câmara agradeceu ao prefeito e aos vereadores pela aprovação da lei e disse estar satisfeito por ter alcançado mais um dos desafios do Centenário: “É muito gratificante receber todos esses presentes no ano do Centenário da nossa Igreja, pois no ano passado fomos questionados pelas autoridades religiosas do país e do Estado se Belém teria infraestrutura para sediar essa festa. Hoje, comprovamos que é possível e só Deus poderia realizar tudo isso. Foi Ele quem escolheu esse local para ser o berço da Assembleia de Deus e não podia nos deixar de fora da comemoração dos 100 anos de fundação da Igreja. É uma vitória de todos nós”.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Assessoria

terça-feira, 17 de maio de 2011

Cristãos interrompem passeata gay que acaba em conflito na Austrália


A polícia precisou intervir, mas ninguém foi preso
                               Cristãos interrompem passeata gay que acaba em conflito na Austrália

Um grupo de homossexuais saíram nas ruas da cidade de Adelaide, Austrália, em uma passeata contra a homofobia em comemoração ao Dia Internacional contra a Homofobia, 17 de maio, mas foram surpreendidos com um grupo de evangélicos da igreja Adelaide Street que levaram cartazes com mensagens bíblicas que condenam o homossexualismo.

Cerca de 100 casais homossexuais tentavam encenar um casamento gay em público quando o grupo de cristãos chegou. Em meio à confusão, denúncias de agressão de ambos os lados e a polícia precisou ser acionada.

Uma cadeirante gay acusa um dos cristãos de tê-la derrubado da cadeira.Já os membros da igreja afirmam que tiveram suas faixas rasgadas.

Representando a organização gay, Jason Virgo afirmou: “Um pequeno grupo de cristãos radicais veio com cartazes dizendo que Deus nos odeia. Não deveriam existir cartazes juntando ‘Deus’ e ‘ódio’… Hoje é o Dia internacional contra a homofobia e eles vieram até nós dizendo coisas homofóbicas. É uma falta de respeito… Nunca iríamos até a igreja deles atrapalhar o que eles fazem por lá”.
,
A versão da igreja foi apresentada por Damien Gloury: “Fomos atacados e apanhamos porque proclamamos a mensagem cristã. Estamos apenas citando a Bíblia e ela diz que homossexualidade é pecado… Amamos as pessoas, pode parecer que as estamos condenando, mas não, estamos apenas pregando a Bíblia”.

Um representante da polícia local tirou alguns cristãos da rua para garantir a segurança deles. Ninguém foi preso.
Assista:

Fonte: Gospel Prime
Com informações Pavablog



segunda-feira, 16 de maio de 2011

Pastor pode substituir Edison Lobão no Senado

A bancada evangélica no Senado Federal poderá crescer nos próximos dias. Heber Waldo Silva Costa, (foto) conhecido como Pastor Bel (PP-MA), já discute a sucessão de Lobão Filho (PMDB-MA), internado após um grave acidente de carro na semana passada.

Líder da Assembleia de Deus, Pastor Bel é o segundo suplente de Edison Lobão (PMDB), senador licenciado do cargo para assumir o Ministério de Minas e Energia. O primeiro suplente é Lobão Filho, transferido ontem do Maranhão para o hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Segundo a assessora da família, Lobão Filho deve permanecer em torno de seis meses em recuperação, após fraturar fêmur, um braço e sete costelas no acidente, quando o veículo em que estava foi atingido por uma camionete, perto de São Luís.

A posse do pastor será discutida com a família Lobão. A estreia dele na política foi decisão da Assembleia de Deus, diz o cunhado, que se identificou como “o obreiro irmão Samuel”.

A ideia inicial da igreja era lançar um candidato próprio ao Senado “para representar o povo de Deus”.
Depois veio o acordo com a família Lobão, o que permitiu ao pastor a segunda suplência.

Samuel afirma que o pastor, caso assuma a vaga como senador, trabalhará pelas causas bíblicas e endossará campanhas como a do deputado e colega de partido Jair Bolsonaro (PP-RJ).

De acordo com irmão Samuel, o pastor reconhece a união entre homem e mulher como “uma constituinte formada não pelos homens, e sim por Deus”. O pastor atua em Poção de Pedras, no interior maranhense.

Fonte: Folha Online

domingo, 15 de maio de 2011

Ascensão social reduz evangélicos, diz líder da CNBB

Raymundo Damasceno, novo presidente da CNBB, atacou os evangélicos ao afirmar que a nova classe média quanto mais estuda mais se afasta da igreja evangélica.

O novo presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), d. Raymundo Damasceno Assis, disse ontem que a ascensão social de quase 30 milhões de pessoas nos últimos anos as tornou mais "críticas" e, por isso, teria diminuído a presença evangélica no país.

"Elas começam a ler mais, a estudar mais, e por isso são mais críticas em relação a muitas posturas hoje na sociedade", afirmou, após o encerramento da 49ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP).

D. Raymundo Damasceno Assis não soube precisar a fonte das informações, mas afirmou que a nova classe média, ao mesmo tempo em que se afastou das igrejas evangélicas, se aproximou da Igreja Católica.

Segundo o Datafolha, a população católica perdeu fiéis na última década, e a população evangélica cresceu.

Para o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), membro da bancada evangélica, o que ocorre no país é "exatamente o contrário".
"O número de evangélicos cresceu em todos os segmentos de renda. E, com o progresso das classes, têm surgido muitas comunidades evangélicas voltadas para a classe média", afirmou.

Ontem, ao tomar posse como presidente da CNBB pelos próximos quatro anos, d. Raymundo Damasceno Assis assumiu como principal desafio fortalecer o papel missionário da Igreja Católica no país. Ele disse que as paróquias precisam sair do "comodismo" e buscar fiéis.

Atualmente, o principal alvo da Igreja Católica são os jovens. Uma das estratégias para conquistá-los é o uso da internet e das redes sociais, como defendeu o cardeal d. Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, em entrevista durante a assembleia.

Já d. Raymundo Damasceno aposta fichas também na escolha do Brasil para sediar a jornada mundial da juventude em 2013, que terá a presença do Papa Bento 16.

CONCILIADOR

Segundo membros da CNBB, o novo presidente tem um perfil conciliador.

Questionado pela Folha sobre como avalia o governo Dilma Rousseff, ele disse que é de forma positiva e que a presidente é uma pessoa "discreta", que aparece apenas "nos momentos mais importantes".

O presidente da CNBB não quis comentar a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que equiparou a união civil homoafetiva à heterossexual, na semana passada.

Em nota, CNBB afirmou que o Supremo ultrapassou "os limites de sua competência" e que a decisão cabia ao Congresso Nacional.
fonte: folhagospel

sábado, 14 de maio de 2011

Pastor se casa com o cunhado e pede a guarda dos filhos em Cacoal

Um caso no mínimo inusitado chamou a atenção dos 78 mil habitantes de Cacoal. Um homem de 36 anos separou-se de sua esposa de 23 anos para ‘casar-se’ com o cunhado de 38. Flávio Serapião Birschiner estava casado há dois anos com Ana Paula Rochinha Birschiner.

O casamento parecia um conto de fadas até aparecer o ‘Lobo Mau’. Pedro Rochinha Siqueira, irmão de Ana Paula, e até então melhor amigo e único confidente, hoje é odiado pelas duas famílias. Pedro Rochinha era conhecido na comunidade de Jardim Clodoaldo como um pastor íntegro e milagreiro. Em seus testemunhos se apresentava como ex-homossexual, e creditava ao espírito santo a reorientação de seu desejo sexual.

Ele que por oito anos se apresentou em boates gays sob o pseudônimo de Shirley Mac Lanche Feliz, depois de convertido virou o Pastor Rochinha. Com fama nacional por muitas vezes compareceu na qualidade de debatedor de temas ligados a ‘Religião & Sexualidade’ no programa Superpop da Rede TV.

Ana Paula acredita que seu casamento se desfez pela constante recusa em praticar sexo anal com o marido. Ela revela que “ele era obcecado por sexo anal. Eu sempre disse não por que acredito que ali não é lugar de entrar nada”. Ela ainda afirma que confidenciou isso ao irmão que a disse: “não deixa mesmo não, além de ser pecado isso é sujo. E se der uma vez ele vai querer sempre”.

Ana Paula acha que seu irmão se valeu desta informação para oferecer ao marido um diferencial competitivo. Flavio deu entrada na justiça em um pedido de guarda definitiva dos filhos gêmeos por acreditar que “é melhor um filho ser criado pelo pai e pelo tio do que por uma mãe solteira”.
Fonte: Paraiba.com.br
Autor: Paraiba.com.br

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Missão com Surdos da Assembleia de Deus do Belém comemora 10 anos

Na comemoração haverá apresentação do coral e teatro de surdos
 
Missão com Surdos da Assembleia de Deus do Belém comemora 10 anos

A Missão com Surdos da Igreja Assembleia de Deus do Belém estará comemorando 10 anos de trabalho durante a Conferência do Centenário que está acontecendo no Templo Central na cidade de Belém, Pará.

No sábado, 14, acontecerá a formação de uma nova turma do curso de libras, composta por 70 alunos. Durante o encontro, que terá como tema “Deus é Nossa Força”, será mostrado todo o trabalho desenvolvido nos dois meses de curso, como apresentação do coral e teatro de surdos. Também serão realizadas palestras sobre inclusão e direitos do surdo e uma oficina de libras. Haverá entrega dos certificados para os participantes.

A ideia do projeto Missão de Surdos surgiu quando uma irmã, chamada Sônia, percebeu que durante os cultos havia também uma fiel que ficava isolada por não entender o que se passava no momento das orações.  “Ela vivia isolada pela barreira da comunicação. Não tinha quem soubesse ensinar. Então juntou a vontade de interpretar com o desejo de aprender. Assim iniciou o projeto”, revela Edinuzia.

A Missão realiza também um trabalho social com os integrantes, com acompanhamento em entrevistas de trabalho, casamentos, passeios e consultas médicas.

Fonte: Gospel Prime
Com informações da Assessoria

Silas Malafaia muda data de manifestação contra a PL 122

O evento, que seria no dia 29 de junho, acontecerá no dia 1º de junho, às 15h em frente ao Congresso Nacional
                                                    Silas Malafaia muda data de manifestação contra a PL 122

O pastor Silas Malafaia vai adiantar a data da manifestação pacífica contra o Projeto de Lei 122/2006 que foi desarquivado pela senadora Marta Suplicy e será tratado em caráter de urgência no Senado nos próximos dias.

Por esse motivo o evento, que seria no dia 29 de junho, acontecerá no dia 1º de junho, às 15h em frente ao Congresso Nacional, em Brasília. O objetivo é protestar contra esse o projeto de lei que visa criminalizar a homofobia.

Muitas pessoas não entenderam que o PL 122 criminaliza qualquer ação, opinião ou crítica que venha a ser interpretada como discriminação ou preconceito quanto ao homossexualismo no Brasil, com pena de 2 a 4 anos de prisão. Sendo assim, fere a liberdade religiosa e de expressão, direitos garantidos pela Constituição brasileira, expressas no artigo 5º, incisos 4, 6, 8 e 9.

“Essa é uma lei vergonhosa, que finge proteger a prática homossexual, porém, sua intenção real é colocar uma mordaça na sociedade e criminalizar os que são contra o comportamento homossexual. Com essa lei querem atingir as famílias, as questões religiosas e a liberdade de expressão”, afirma o pastor Silas Malafaia, que convida os brasilienses para participarem desse manifesto.

Se você quiser participar dessa campanha entre no site www.senado.gov.br/senadores e envie para os representantes do seu estado: “Sr. Senador, rejeite a PL122/2006. Em favor da família, em favor da liberdade de expressão e abaixo a pedofilia.” Quem desejar pode ainda enviar esse pedido para os senadores dos demais estados da federação.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Vitória em Cristo

Bancada evangélica barra votação da PL 122

Frente Parlamentar Evangélica pediu o adiamento alegando que devem ser realizadas audiências públicas
 

Bancada evangélica barra votação da PL 122

O projeto de Lei 122/2006 seria votado nesta manhã pela Comissão de Direitos Humanos do Senado, mas a pressão da bancada evangélica fez com que a votação fosse adiada sem previsão de ser retomada.

Alguns representantes da Frente Parlamentar Evangélica presentes à sessão alegaram que é necessário realizar audiências públicas, porque o projeto não teria sido suficientemente discutido no Congresso.

“Precisamos debater à exaustão, sem privilegiar ninguém. Há pelo menos 150 milhões de brasileiros que não foram ouvidos”, disse o senador Magno Malta (PR-ES).

O texto do PL 122 é de autoria da ex-deputada Iara Bernardi (PT-SP) e tramita há dez anos no Congresso, mas somente em 2006 foi aprovado no plenário da Câmara. A intenção da senadora Marta Suplicy (PT-SP) que o desarquivou e virou sua relatora, era aprovar a PL até a próxima semana, quando começa as comemorações do Dia Nacional de COmbate à Homofobia, data comemorada no dia 17 de maio e que vai movimentar a Esplanada em Brasília.

Bate boca

Na saída da sessão a senadora do PT concedeu uma entrevista aos jornalistas e o deputado Jair Bolsonaro exibiu uma cartilha do Ministério da Educação (MEC), expondo o Plano Nacional de Promoção à Cidadania GLBT, o que ele considera algo “moralmente ofensivo à sociedade”. Exaltada, a senadora Marinor Brito deu um tapa no livreto e acusou Bolsonaro de ser “criminoso”. Bolsonaro retrucou chamando-a de “heterofóbica” e os dois trocaram ofensas e xingamentos.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Agência Senado

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Magno Malta teve a transmissão de seu discurso interrompido na TV Senado

Em seu discurso ele falava que o PL 122 quer criar um império homossexual no Brasil
                                 Magno Malta teve a transmissão de seu discurso interrompido na TV Senado

Na manhã desta quinta-feira, 12, o Senador Magno Malta estava discursando sobre o Projeto de Lei 122/2006 que define crimes de preconceito contra homossexuais quando teve seu discurso cortado pela TV Senado que transmitia a sessão dos senadores que examinava o projeto. O sinal foi cortado tanto para quem assistia pela TV como também na Internet.

O PL foi desarquivado em fevereiro pela senadora Marta Suplicy (PT-SP) que se tornou a relatora do projeto e durante a sessão de hoje pediu para que os senadores que são contra que se manifestassem para que ela tentasse entendê-los.

No trecho que foi transmitido o senador Magno Malta falava que o texto referido é já é errado em seu nascedouro “porque o homofóbico quer matar, que destruir, quer enforcar”.

“O projeto de Iara Bernardes arrumava cadeia para todo mundo. Criminalizava a sociedade como um todo. Você era obrigado a gostar e querer o que ela escreveu no texto dela. Uma série de inconstitucionalidades”, diz Magno Malta.

Ele pede uma audiência pública para ouvir a sociedade para saber o que os cidadãos brasileiros pensam sobre isso. Também pede que organizações como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e também entidades religiosas como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se manifestem sobre isso.

No meio desse discurso a TV Senado saiu do ar e muitas pessoas começaram a reclamar e acusar os diretores de promoverem uma ditadura em favor dos homossexuais. Minutos depois o Senador Marcelo Crivella esclareceu que o debate continuou ao vivo pela TV Senado na Internet, no canal digital e pela Rádio Senado.

No final da sessão os Senadores aprovaram o adiamento do debate e os trechos do que foi discutido hoje podem ser vistos na página de notícias do site do Senado: http://www.senado.gov.br/.

Confira um trecho:




quarta-feira, 11 de maio de 2011

China prende mais 15 cristãos em culto ao ar livre

Membros afirmaram que tinham autorização da polícia para orar e cantar ao ar livre
                                                  China prende mais 15 cristãos em culto ao ar livre

Ao menos 15 membros de uma igreja protestante clandestina da China foram detidos quando tentavam celebrar um culto ao ar livre, no último incidente de uma série na qual a polícia já deteve mais de 200 de seus fiéis em menos de um mês, informou a imprensa local.

Os membros da igreja de Shouwang, que tem cerca de 1.000 membros, estavam em uma praça de uma área comercial de Pequim, na qual havia uma forte presença policial como a cada domingo desde o dia 10 de abril, quando foram detidos ali 169 fiéis, informou o jornal independente “South China Morning Post”.

As autoridades chinesas estão há semanas evitando que esta igreja oficie serviços religiosos em público.

Alguns dos cristãos detidos em algumas ocasiões anteriores assinalaram que a Polícia tinha dado autorização para que eles pudessem orar e cantar enquanto estavam detidos, mas também lhes pressionou para que assinassem declarações nas quais prometiam não voltar a celebrar um culto na rua.

A igreja perdeu o lugar onde realizava seus ritos quando as autoridades locais forçaram seu dono do imóvel a despejá-los e impediram que se mudassem para um escritório comprado pela igreja em 2009.

A China é um Estado aconfessional que reconhece religiões, entre elas a cristã, mas só em grupos oficiais controladas pelo Partido Comunista da China (PCCh), no poder desde 1949.

Fonte: CPAD News

Filhos de ateus buscam a fé fora de casa

Psicólogos afirmam que todos somos naturalmente teístas, e, à medida que crescemos, vamos diversificando nossas posturas
                                               Filhos de ateus buscam a fé fora de casa

As novas gerações de céticos, agnósticos e ateus não casam na igreja, não batizam seus filhos, nem têm religião ou falam de fé. Eles simplesmente desconsideram a existência de Deus. Mas isso não impede que, em alguns casos, seus filhos sintam a necessidade e até cobrem uma discussão sobre fé e religião.

Larissa Queiroz recebe uma carta de uma instituição filantrópica e, dentro do envelope, descobre um terço de plástico de brinde. A filha Beatriz, de sete anos, adora a novidade e coloca no pescoço na mesma hora. “Expliquei que aquilo não era um colar, disse do que se tratava e me parece que ela ficou ainda mais interessada”, conta a mãe recifense que vive em São Paulo. Desde então, a pequena pede para rezar toda noite. Outro dia, convenceu o pai a levá-la a uma missa pela primeira vez.

De acordo com Eduardo Rodrigues da Cruz, professor do Programa de pós-graduação em Ciências da Religião da PUC de São Paulo, os psicólogos cognitivos tem estudado o assunto com crianças de várias faixas etárias. “Suas conclusões: todos somos naturalmente teístas, e, à medida que crescemos, vamos diversificando nossas posturas”, afirma o doutor em teologia, que também é mestre em física. Ou seja, para ele, a fé é uma postura “natural”, que é racionalizada conforme amadurecemos.

Em uma noite de mais de uma hora de apagão, escuro total e absoluto, Beatriz, a filha de Larissa, teve uma ideia: “vamos rezar para a luz voltar”. “Eu lógico, relutante, tentei explicar que não adiantaria, mas ela insistiu, insistiu e rezamos. Um minuto depois, a luz voltou”, descreve. Em seu blog, Larissa desabafa: “será que temos como evitar isso? Estou achando que não”.

Marina de Oliveira Pais,carioca, é filha de pai ateu. Sua mãe, assim como muitos brasileiros, foi batizada, mas não pratica nenhuma religião.  Quando decidiu morar sozinha pela primeira vez, Marina conheceu Bernardo Nogueira, de 20 anos. Apaixonada, ela conseguiu resistir aos convites da família do namorado para ir a uma igreja evangélica só por alguns meses.

Mas relata que, já na primeira vez que assistiu ao culto, teve certeza de que estava no lugar certo. “Fiquei maravilhada”, descreve. Ela então mudou drasticamente seu estilo de vida. “Cortei a bebida, as baladas e os palavrões. Hoje meus pais respeitam minha situação de convertida justamente por essas minhas mudanças comportamentais”, afirma.

Jaqueline Slongo, de 23 anos voltou a viver na cidade natal de Curitiba com o pai ateu depois de algum tempo separados. Ironicamente, por conta de uma bolsa de estudos, a então adolescente foi estudar em um colégio católico. O retorno à cidade grande, onde as desigualdades sociais são mais gritantes, o descobrimento da Bíblia e a fase de mudanças, levantaram muitos questionamentos. “Comecei a me questionar sobre a existência de Deus, fazia perguntas para as freiras do colégio, mas as respostas não me saciavam”, lembra.

Jaqueline começou a achar que havia alguma coisa errada entre o que lia e o que pregavam suas ‘instrutoras espirituais’. “Elas me mandavam rezar, mas eu não curtia”, confessa. Seu pai viajava muito e, como não acreditava em Deus, a filha preferia não falar sobre o assunto com ele. O processo foi sofrido, e aconteceu em meio às transformações da adolescência, à ausência dos pais, e à angústia causada por sintomas de depressão. “Eu era muito agressiva, rebelde, intolerante. Não tinha amigos e sempre me isolava”, conta.

Ela então buscou alívio e conforto na religião. Hoje, a estudante se considera protestante, mas passou por diversas comunidades cristãs diferentes. Diz que não se importa com rótulos, mas sente que é preciso estar em grupo. “Acho importante a vivência em comunidade, pois é no relacionamento com outros que seu caráter se constrói”, afirma.

Com o pai, ficou cinco anos sem poder comentar nada sobre sua fé. Até que, há três meses, consciente da mudança espiritual da filha, ele lhe pediu que comentasse, ‘de forma sucinta’, no que exatamente ela acreditava. A partir de então, ela diz, ele tem pedido que também reze por ele.

Com informações IG
Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"