chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

terça-feira, 25 de junho de 2013

Manifestantes protestam em frente à casa de Marco Feliciano

Com cartazes e faixas eles gritaram palavras de ordem contra o parlamentar pela aprovação do PDC 234/2011.


Manifestantes protestam em frente à casa de Marco Feliciano
Manifestantes protestam em frente à casa de Marco Feliciano

Na noite do último sábado (22) o deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP) voltou a ser alvo de protestos. Dessa vez um grupo de manifestantes se reuniu em frente a casa do parlamentar na cidade de Orlândia, interior de São Paulo.

Cerca de 60 pessoas, segundo a Polícia Militar, se juntaram por volta das 18h no Centro da cidade com mais de 100 pessoas que protestavam contra o governo municipal.

Com o passar do tempo uma parte dos manifestantes resolveu ir até a casa de Marco Feliciano com cartazes que criticavam o PDC 234/2011 que foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara na última semana.

O projeto foi nomeado pelos críticos de “cura gay” e ganhou o desprezo de boa parte da população brasileira que não teve acesso ao verdadeiro teor da proposta apresenta pelo deputado João Campos (PSDB-GO) que não trata sobre a cura para homossexuais.

A assessoria de Marco Feliciano afirmou que não havia ninguém na residência naquela noite, sentados na rua, os jovens gritavam palavras de ordem como ‘Feliciano, o Brasil não precisa de você’, ‘Fora Feliciano, você não me representa’, ‘Não existe cura’ e ‘Sem preconceito’ entre outras.

Um dos manifestantes concedeu entrevista ao G1 dizendo que se sentiu magoado com a aprovação da proposta. “Não é fácil para os meus pais ouvir que eles têm um filho doente por causa desse projeto”, disse Jorge Morato, de 31 anos.

Assim como outras pessoas, Morato entendeu que o PDC 234/2011 afirma que o homossexualismo é doença, o que não é verdade. O projeto tenta sustar dois artigos do Conselho Federal de Psicologia, e como o autor mesmo afirmou, não diz sobre o paciente, mas sobre a liberdade do profissional de psicologia.

Na frente da CDHM, Marco Feliciano está diante de projetos bastante polêmicos, pois nos anos anteriores a comissão tratou de muitos assuntos ligados ao movimento LGBT. Recentemente o parlamentar se mostrou descontente com as pautas que foram enviadas para sua comissão e disse que sente falta de projetos que realmente trarão benefícios para minorias, como por exemplo, os quilombolas.

Vale lembrar que como presidente da Comissão de Direitos Humanos e minorias, Marco Feliciano não vota, ele apenas administra a discussão entre os demais deputados e participantes convidados.

Fonte: Gospel Prime
Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"