chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Pastor presbiteriano luta pela liberdade religiosa no Brasil

Pastor presbiteriano luta pela liberdade religiosa no Brasil

Criticando o pensamento das igrejas evangélicas de criticar as outras religiões, Marcos Amaral mostra que é possível conviver com pessoas de credos diferentes
Pastor presbiteriano luta pela liberdade religiosa no Brasil

O pastor Marcos Amaral, da Igreja Presbiteriana de Jacarepaguá, tem trabalhado para acabar com a intolerância religiosa no Brasil e nesta segunda-feira, 10, fará uma reunião com lideranças na Universidade Mackenzie em São Paulo também sobre o tema mostrando que é possível conviver com pessoas de credos diferentes.

Amaral conta que seu primeiro contato com o público de religiões afros foi em 2008 quando foi convidado a participar da  Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, experiência que o fez enxergar o assunto de outra forma.

“Eu estava morrendo de medo. Nunca tinha estado em contato com “essa gente” porque, para mim, nessa época, não eram pessoas. Quando desci, pensei em ir embora. Quando estava saindo, uma jovem correu atrás de mim e me pediu para tirar uma foto com a mãe dela. Vi uma senhora negra com roupas de baiana. Ela me pediu: “O senhor pode orar por mim?” e botou a minha mão no turbante dela. Aquela velhinha me quebrou. Nunca mais a vi, mas ela nunca saiu de mim”, disse ele.

Depois disto, o pastor passou a ter como um de seus objetivos representar uma voz em defesa dos valores reais da religião, como a ética. E até desaprova o comportamento de igrejas como as neopentecostais que tratam os fieis de outras religiões como “endemoniados”.

“Os neopentecostais têm um projeto imperialista de supremacia política, baseada em um modelo de valorização dos países do hemisfério norte. Não é à toa que eles chutam a santa ou associam imagens de centros umbandistas a “endemoniados”. Há um projeto de aniquilação religiosa no Brasil”, opina Amaral.

O presbiteriano vai tentar reunir as lideranças protestantes para conversar sobre o tema e explicar que o estado brasileiro é laico e que o Estado religioso não está acima do Estado civil. “Espero reunir as lideranças protestantes éticas que digam à sociedade que o estado brasileiro é laico e que esse comportamento fanático não reflete o Reino de Deus. Reflete um desajuste e um projeto de poder. Vamos levantar nossa voz para a sociedade e dizer que todos têm o direito de escolher seu credo”.

Fonte: Gospel Prime
Com informações Jornal Extra 
Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"