chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Deputado gay compara cristãos brasileiros a matador da Noruega


Deputado gay compara cristãos brasileiros a matador da Noruega
 
   Depois do ataque feito pelo então chamado fundamentalista cristão, Anders Behring Breivik, Jean Wyllys, o deputado federal do PSOL que defende a causa gay, trouxe à tona suas preocupações com o que ele chamou de direita religiosa no Brasil.

    Em um artigo publicado na revista Carta Capital, Wyllys escreveu sobre “uma direita religiosa que tem ganhado força no Ocidente”. “Em todo o Ocidente, a direita religiosa tem ganhado força e se expressado da maneira mais assustadora possível”, comparando o Brasil com a Noruega, no recente massacre.
    “O que esperar de nosso país, o Brasil, onde atualmente as crenças dos Cristãos conservadores exercem uma enorme influência sobre o discurso público – em escolas, juizados e principalmente no Legislativo – ao ponto de intervirem em políticas de governos e silenciar, sob ameaça de danos eleitorais, políticos de boa fé?”
    Wyllys acusa que o responsável pelo massacre o Realengo, no Rio de Janeiro, que deixou 12 crianças mortas, era um cristão fundamentalista, informação que, contudo, não foi confirmada. Segundo ele, o fanatismo cristão é ainda o responsável por campanhas difamatórias nas redes sociais contra aqueles que defendem os direitos homossexuais e, particularmente, contra ele mesmo.
    Um professor de ética Cristã da Faculdade da Faculdade Bastista ABC, Moisés Vieira Fernandes, respondeu às críticas aos cristãos e a comparação entre Brasil e a Noruega proposta por Wyllys dizendo que o deputado está totalmente equivocado ao usar o conceito de fundamentalismo cristão dessa maneira.
   Segundo Fernandes, o termo ‘fundamentalismo cristão’ se refere à “crença na palavra de Deus como ela é”, ou seja, o fundamentalista é o que é focado na Bíblia Sagrada.
    “Ele está totalmente equivocado. Os fundamentalistas cristãos são as pessoas focadas na Biblia sagrada. O fundamentalismo que ele afirma não tem a ver com o Cristianismo”, explicou o professor.
    Wyllys pareceu implicar que existem Cristãos de bom senso e os fundamentalistas, que se inserem no contexto de lutas e discussões entre homossexuais e líderes religiosos no âmbito político, social e religioso frente às exigências por eles de leis em favor à comunidade LGBT.
    Segundo o teólogo e professor, as pesquisas no Brasil mostram que 92% da população são contra as leis que eles querem aprovar. Os homossexuais agredidos no Brasil, ele afirma, foram por grupos que não eram evangélicos, levantando também a questão da liberdade de expressão religiosa.
    “O problema é que a lei deles diz que não podemos fazer críticas ao homossexualismo. E aqui no Brasil nós podemos falar mau do diabo, mau do papa, do presidente”, disse ele.
    Fernandes ainda alertou que garotos homossexuais vão de mãos dadas, provocando pessoas em shopings para que as pessoas discutam com eles a fim de que os chamem de homófobicos e chamem a polícia. Ele afirmou que o grupo homossexual está fazendo guerra contra “todos” não somente contra evangélicos.
    O caso da Noruega, Fernandes ressalta que não tem nada a ver com o que acontece no Brasil. Ele relembra que o fundamentalismo é a crença na palavra de Deus e que os Cristãos evangélicos não podem punir apesar de serem contra o homossexualismo. “Não temos nenhum comportamento punitivo”.


Fonte: Christian Post , Creio
Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"