chat da radio gospel hits brasil

Filme: "Renúncia, Suas escolha definem seu futuro"

quinta-feira, 7 de março de 2013

Marco Feliciano diz que sofre ameaças de morte

Antes de assumir a Comissão de Direitos Humanos ele precisa receber dez votos dos 18 parlamentares que fazem parte do órgão

Marco Feliciano diz que sofre ameaças de morte
Marco Feliciano diz que sofre ameaças de morte

O nome do pastor Marco Feliciano, deputado federal pelo PSC-SP, nunca foi tão citado na imprensa brasileira como nos últimos dias quando o partido resolveu indicá-lo ao posto de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Sua indicação foi questionada e condenada por muitas pessoas que acusam o pastor de ser homofóbico e racista. Após assumir o cargo, que ainda terá que ser confirmado por meio de uma votação entre os 18 membros da CDHM, Feliciano afirmou que está sendo ameaçado e desmente as acusações de racismo e homofobia.

Em entrevista ao jornal O Globo, o deputado garante que as críticas se dão pelo fato dele fazer parte da bancada evangélica e ter entrado com um requerimento contra a decisão do STF sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

“Não por ideologia apenas, mas para poder preservar a Constituição brasileira”, disse. “O que tem acontecido é que a Constituição está sendo rasgada. Artigo 226, parágrafo 13: está escrito lá que casamento civil é entre um homem e uma mulher. Então, enquanto não se faz uma PEC, enquanto não se altera a Constituição (o STF não pode decidir sobre o assunto). Eu, pessoalmente, sou guardião dela (Constituição)”, conclui.

Questionado sobre as declarações ditas como racistas, Feliciano lembra a origem de sua família e diz que o texto bíblico citado por ele foi interpretado de forma errada. “Eu não sou racista. O caso foi simplesmente um texto que eu citei e, como sempre, as pessoas me interpretaram errado, e fizeram uma caveira ao meu respeito. Eu sou de matriz negra.”

Ameaças de morte

Suas declarações contra a união de pessoas do mesmo sexo tem lhe rendido alguns inimigos e muitos usam a internet para fazer ameaças como o próprio pastor revelou ao jornalista do O Globo.

“Entre no meu site e veja lá a petição pública que você vai ver um cidadão dizendo que eu deveria estar no céu com um tiro bem dado no meio do peito”, afirmou ele. No site do deputado, na página da petição em seu favor para a presidência da CDHM realmente há um grifo em uma mensagem de um internauta que pede a morte de Feliciano.

“Isso tudo pelo Twitter. Então eu sofro demais com a comunidade (da internet). Quando na verdade a comunidade é meia dúzia de parlapatões que não tem o que fazer e ficam aí o tempo todo na mídia tentando destruir pessoas”.

Feliciano comenta suas propostas para CDHM

Mesmo havendo um acordo entre os partidos políticos, o deputado Marco Feliciano terá que enfrentar os demais parlamentares que fazem parte da Comissão. Alguns prometem protestar contra o novo presidente alegando que ele não tem o perfil para defender os direitos humanos.

Porém Feliciano segue acreditando que terá os dez votos necessários para assumir ao posto e começar a trabalhar na CDHM. Tanto que ele já tem algumas propostas para os primeiros trabalhos a serem realizados pela Comissão, a primeira será reabrir os mais de 300 projetos que estão engavetados.

Em segundo lugar irá convidar os membros da Comissão a decidirem juntos os projetos que serão votados. “Isso é para mostrar para todo mundo que não existe nenhum monstro que vai assumir a presidência da comissão”, falou o deputado ao O Globo.

“Em terceiro lugar, é trabalhar arduamente para limpar essa sujeira que fizeram com o meu nome, me chamaram de racista e homofóbico. E racismo e homofobia são crimes. Um é você achar que existe uma raça superior à outra. E o outro é você usar a violência . E eu nunca fiz uma coisa nem outra. Sou cristão, aprendi com Cristo”.

Fonte: Gospel Prime
Ocorreu um erro neste gadget

sate da radio

sate da radio
"Evangelizando Povos e Nações"